Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘geografia humanística’

Roteiros Geográficos do Rio

 

Ordem e Progresso no Rio dos Símbolos Republicanos

15 de novembro de 2019, sexta-feira  – aula-passeio, grátis, a pé. Dia da Proclamação da República

Lugar de encontro: 15 horas, na portaria da Casa de Deodoro (Praça da República 197, em frente ao Campo de Santana, esquina de Av. Presidente Vargas)  

Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ

Casa de Deodoro – Praça da República – Campo de Santana e da Proclamação da República – Rua da Constituição – Praça Tiradentes (um mártir recuperado e imposto pela República) – Rua da Carioca, o alargamento de um logradouro na busca da Paris nos Trópicos – Largo da Carioca – o diálogo do Rio Colonial com a Cidade Maravilhosa – Av. Rio Branco e Cinelândia com monumentos criados pelos ideais Republicanos – O bota-abaixo de Pereira Passos, Rodrigues Alves e Paulo de Frontin; a erradicação e combate às velhas usanças promovidas por Oswaldo Cruz, o “Rato, Rato” no canto do povo no Reinado de Momo, a inauguração da Avenida Rio Branco no momento simbólico de 15 de novembro de 1905; o disciplinamento do uso do solo urbano de então; uma artéria-símbolo da ordem e do progresso republicanos na capital do país;  a mudança da toponímia em 1912 com a morte do diplomata Rio Branco, as diversas temporalidades das edificações deste traçado;  as manifestações políticas e procissões religiosas; os triunfantes  desfiles de celebridades, misses, atletas, políticos e atores;  os carnavais de outrora e da atualidade na Avenida desta Sebastianópolis; a permanência e requalificação do Edifício Central com seu Info Shopping; Rio Branco – o VLT, um olímpico transporte –uma avenida na alma do povo – o equipamento urbanístico nas calçadas da Avenida; as diversas temporalidades e os suntuosos edifícios junto à Cinelândia e seu precioso/belo conjunto arquitetônico; Theatro Municipal,  Biblioteca Nacional,  Boêmio Amarelinho,  Câmara dos Vereadores/Palácio Pedro Ernesto, Centro Cultural da Justiça Federal (visita) – antigo STF, o eterno  Cine Odeon –Metrô, uma sentinela luminosa a nos conduzir por lunares e ensolaradas geografias na Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro;  a Rio Branco como centro financeiro, de gestão, cultural, religioso; político e de toda gente;

Em caso de tempo chuvoso, o roteiro será cancelado. É conveniente telefonar (21) 988717238 para confirmar – grátis – a pé

Instagram: @roteirosgeorio   –    Facebook: roteiros geográficos do Rio

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ

Prêmio Mobilidade Urbana na modalidade Educação e Cultura conferido pela FETRANSPOR em 2010.

Diploma Heloneida Studart  da Comissão de Cultura da ALERJ – Categoria Patrimônio Material – 2017

… e porque nós amamos o nosso lar / lugar, o Rio de São Sebastião estamos há 15 anos nas ruas da urbe carioca sempre em defesa da nossa Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro e de São Jorge Guerreiro, Patrimônio Mundial da Humanidade

Promoção: NeghaRio (Núcleo de Estudos sobre Geografia Humanística, Artes e Cidade do Rio de Janeiro)

PPGEO (Mestrado / Doutorado em Geografia) – Instituto de Geografia – UERJ –

Apoio Institucional: Secretaria Municipal de Cultura

UERJ – UNIVERSIDADE DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO

———————————————————–

O coordenador do Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ –  Prof. João Baptista Ferreira de Mello acometido de forte dores na coluna e outras complicações de saúde está de licença médica na UERJ até o dia 21 de julho de 2019. Neste contexto, as atividades dos Roteiros encontram-se, temporariamente, suspensas.

 

https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/11/5595975-joao-baptista-ferreira-de-mello–novembro-negro-de-zumbi-dos-palmares.html

https://pbs.twimg.com/media/Dvtd4xDWwAAO-eQ.jpg

Um mar de gente foi à Pedra do Sal conduzido pelo Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ – / Geógrafo Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – no domingo 30 de dezembro de 2018. (21) 988717238 whats

 

 OPINIÃO – 24/11/2018

Novembro Negro de Zumbi dos Palmares

Por João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA – Divulgação

Zumbi dos Palmares morreu no dia 20 de novembro de 1695 aos 40 anos de idade. Aos 14, libertou-se para se tornar um guerreiro e liderar movimentos em busca da liberdade para os seus pares. Sua bravura espraiou-se por séculos fazendo com que recebesse homenagens tentaculares, a saber: nome do aeroporto em Maceió, busto erguido na Praça Onze, ponto central da chamada Pequena África do Rio de Janeiro, mais feriado em algumas cidades do país, afora se tornar enredo da Unidos de Vila Isabel, nos idos de 1988, quando, no Centenário da Abolição, a escola venceu o carnaval carioca, com o samba-enredo inesquecível ‘Kizomba, Festa da Raça’.

Este arsenal faz jus, honra e engrandece a biografia de Zumbi e o respeito daqueles que louvam sua valentia. Desafortunadamente, nos dias de hoje, negros esquizofrênicos, envergonhados de sua negra condição, sofrendo de uma espécie de submissão e padecendo de transtorno psiquiátrico pertinente a uma alteração cerebral que dificulta o correto julgamento sobre a realidade estão em campos opostos traindo os ideais de liberdade propugnados por Zumbi dos Palmares e seguidores.

Episódios recentes evidenciaram mesmo uma espécie de Síndrome de Estocolmo com a sujeição ao discurso racista e do ódio. Eu avisava: você é negro. Mas, não me ouviam. Não consegui ser convincente em muitas oportunidades. Credo e cruz!

Seja como for, a inestimável contribuição dos negros deve ser sempre ressaltada pois está inscrita na geografia do Rio e de todo o Brasil como fruto de suor, lágrimas e risos, bem como corações e mentes. Trabalho e fé confluíram para uma cultura pulsante como aquela que vicejou na Cidade Nova, com o chorinho e o maxixe, na Praça 11 dos bambas do samba e na decantada Pedra do Sal, lá pros lados da Gamboa.

Gestos, passos, itinerários, bem como toponímias, palavras comuns, saborosa culinária, gingas, esportes, beleza e bossas sobressaem neste caudaloso Rio de toda gente enlaçada à condição negra.

Diante deste estuário de manifestações é desconcertante observar o racismo impregnado na alma de muita gente, cuja demonstração mais descabida esconde-se nos meandros e amplitude do vocábulo moreno.

Os racistas dissimulam e chamam mulatos e negros de todos os matizes simplesmente de “morenos”. Esta é a palavra-chave para ocultar, encobrir o que deveria ser componente de amor-próprio ou autoestima.

Diante de tal quadro é preciso haver uma nova abolição para extirpar as sombras deste dissimulado racismo.

Não há nada errado em ser negro. De que se envergonham os “morenos”? A eliminação desse tipo de preconceito contido no vocábulo “moreno” precisa ser firmada com a retirada desse tolo subterfúgio dos anais e do cotidiano. Portanto, uma agenda de compromissos deve ser perseguida para se viver, com altivez, a plenitude da condição negra.

João Baptista Ferreira de Mello é coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio – Uerj

 

“2022 – BICENTENÁRIO DE INDEPENDÊNCIA DO BRASIL COM O PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO – UERJ – NAS RUAS DO RIO DE SÃO SEBASTIÃO”

 

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/02/opiniao/5512168-joao-baptista-f-de-mello-eu-sou-um-carnaval-no-meio-da-rua.html

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/38607-janelas-e-ruas-de-sao-sebastiao.html

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/5505542-joao-baptista-ferreira-de-mello-janeiro-de-sao-sebastiao.html

 

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/5505542-joao-baptista-ferreira-de-mello-janeiro-de-sao-sebastiao.html Janeiro de São Sebastião.

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/38607-janelas-e-ruas-de-sao-sebastiao.html     Janelas e ruas de São Sebastião

A UERJ RESISTE E VENCERÁ.  1 folha de salário atrasada, após tantas. Mas, o Projeto Roteiro Geográficos do Rio está nas ruas do Rio de São Sebastião.
PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO na Campanha POR UM RIO LIMPO

João Baptista Ferreira de Mello: rosas raras e pioneiras

Na verdade, esta feminina compilação é apenas simbólica, pois ‘são muitas…são tantas/ são todas tão rosa’, pioneiras mulheres desta Aldeia Tupi, nossa Terra de Santa Cruz

Por João Baptista Ferreira de Mello Roteiros Geográficos do Rio da Uerj

João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA
João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA – Divulgação

Rio – ‘Nada como ser Rosa na vida/ rosa mesmo ou mesmo/ Rosa mulher…’ escreveu Caymmi em versos e canção. Neste Dia Internacional da Mulher, prestemos nossas reverências a essas encantadoras, revolucionárias e bravas mulheres.

Iniciemos com Anna Nery, nome de escola universitária de Enfermagem de alto padrão. Ganhou expressão por seus esforços no campo dos socorros e prestação de serviços no Brasil e no Paraguai. Sigamos com Chiquinha Gonzaga, precursora de uma cultura nacional. Abolicionista, republicana, primeira maestrina do país, casou novamente aos 52 anos com um jovem de 16 e com ele permaneceu até sua morte, aos 88 anos. Abram alas para Chiquinha Gonzaga e sua inaugural e eterna marcha-rancho de 119 carnavais.

Avancemos neste nicho da cultura. Tia Ciata, venerável matriarca do samba, reinou nos domínios da Praça 11 dos Bambas e da Pequena África do Rio de Janeiro. Nos palcos, Tônia Carrero pontificou na cena teatral reunindo charme, beleza e talento. Rainha do Rádio, Marlene, soberana dos auditórios superlotados, nos anos 50, foi proibida de cantar no lendário auditório da Rádio Nacional por envergar calça comprida. Só retornou por imposição do público. Marlene foi, também, a primeira mulher a ‘puxar’ um samba-enredo na Avenida para a vitoriosa Império Serrano, nos idos de 1972, com ‘Alô alô, Taí Carmen Miranda’.

 Na placidez religiosa, Irmã Dulce, sem olhar a quem, praticou o bem, espraiando caridade e encorajamento.

Na passarela dos desfiles de beleza, Vera Lúcia Couto dos Santos, do Clube Renascença, sagrou-se Miss Guanabara. Quebrando todos os tabus, foi a primeira negra a se classificar em um concurso internacional, justo nos Estados Unidos em 1964. Para ela, João Roberto Kelly compôs a famosa marchinha ‘Mulata Bossa Nova’. Em outro certame, Lucia Petterle, em 1971, foi coroada nossa única Miss Mundo, em Londres.

No rico cenário da literatura, Carolina Maria de Jesus, uma mulher das favelas de São Paulo, transformou-se da noite para o dia em uma celebridade com a publicação de seu livro ‘Quarto de Despejo’, best-seller no Brasil e no exterior. No cenário político, Dilma Rousseff, nossa primeira presidenta, foi alçada ao Planalto Central com a assombrosa soma de 54 milhões de votos. E louvemos a quem estuda e merece projeção: Rafaela Marchon, 17 anos, cravou 980 pontos no Enem e classificou-se em 3º lugar na Medicina da UFRJ, além de um honroso 5º lugar no Direito da Uerj.

Na verdade, esta feminina compilação é apenas simbólica, pois “são muitas…são tantas/ são todas tão rosa”, pioneiras mulheres desta Aldeia Tupi, nossa Terra de Santa Cruz.

João Baptista Ferreira de Mello é roteiros Geográficos do Rio da Uerj

https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/03/5519952-joao-baptista-ferreira-de-mello-rosas-raras-e-pioneiras.html

PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO na Campanha POR UM RIO LIMPO

 

image003 (1).jpg

No topo de um sobrado em frente ao Palácio do Catete / Museu da República – foto de Michelle Lustosa participante da aula-passeio Descortinando as Geografias do Catete, Flamengo, Glória. 4 de junho de 2017, domingo. Projeto Roteiros Geograficos do Rio – UERJ – Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – Facebook: Roteiros Geográficos do Rio – Instagram: @roteirosgeorio – (21) 98871 7238 whats – Twitter: roteirosgeorio – email: roteirosgeorio@uol.com.br – site: www.roteirosdorio.com

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ

agraciado com o Prêmio Mobilidade Urbana na modalidade Educação e Cultura conferido pela FETRANSPOR em 2010.

e Diploma Heloneida Studart  da Comissão de Cultura da ALERJ – Categoria Patrimônio Material – 2017

———————————————————————————————————————————–

A cultura transita de VLT no Rio Olímpico

de João Baptista Ferreira de Mello

http://odia.ig.com.br/opiniao/2016-07-29/joao-batista-ferreira-de-mello-a-cultura-transita-de-vlt-no-rio-olimpico.html

porta do iphan

image002

Aula Passeio 100 anos de samba na Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional – 10 de julho de 2016.  Foto André Camargo

image003

100 anos de Samba no Valongo, Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional 10 de julho de 2016

image001

Cem Anos de Samba no Valongo, Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional  – 10 de julho de 2016

roteiro_10_outubro_2015_b

roteiro_10_outubro_2015_a

roteiro_10_outubro_2015_d
Fotos: Roteiro no Porto Olímpico, domingo 11 de outubro de 2015

image002

image001

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – há 14 anos nas ruas do Rio sempre em defesa da nossa Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro e de São Jorge Guerreiro, Patrimônio Mundial da Humanidade ——————————————————————————

Coordenação:  Prof.  Dr.  João Baptista  Ferreira de  Mello

Bolsistas: Shaylla do Carmo Netto Vieira,  Kelly Borges de Faria, Gustavo Melo Azeredo, Rodrigo de Anchieta Bento.

Professores Colaboradores: Doutorandos Prof. Ivo Venerotti, Prof.ª Melissa Anjos e Prof.ª  Olga Maíra Figueiredo. 

————————————————————————————

Grátis  –  Instabilidade do tempo pode provocar o cancelamento do Roteiro, favor telefonar para confirmar, em caso de dúvida (21 98871 7238).

Inscrições não são necessárias.

—————————————————————————————————

Promovem estes eventos: NeghaRIO  –  Núcleo de Estudos sobre Geografia Humanística, Artes e Cidade do Rio de Janeiro  PPGEO – Mestrado / Doutorado em Geografia – UERJ     IGEOG – Instituto de Geografia   UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro Com o apoio institucional da SMC – Secretaria Municipal de Cultural do Rio de Janeiro

————————————————————————————

Roteiros Geográficos da UERJ há 14 anos nas ruas do Rio. Site http://www.roteirosdorio.com há 5 anos na web e com mais 388.000 acessos até março de 2016.

————————————————————————————

Prêmio FETRANSPOR – Mobilidade Urbana – Educação e Cultura – Menção Honrosa

“Geografia é o estudo da Terra como o lar das pessoas” conceituação em voga nos anos quarenta retomada, na década de setenta, pelo geógrafo Yi-Fu Tuan

“Deus nos fala nos mapas com sua voz geógrafa” poeta Adélia Prado

————————————————————————————

ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO procurando contribuir para a auto-estima do carioca e participando das campanhas

– Conserve sua cidade limpa. Não jogue lixo no chão sagrado do nosso lar / lugar, o Rio de São Sebastião. Se não encontrar uma cesta de lixo, leve-o para casa. Quem produz o lixo é o indivíduo e não o Estado ou a Prefeitura.

– Os Roteiros Geográficos do Rio perfilam com as diversas sugestões e solicitações com vistas ao erguimento de uma estátua para a cantora e atriz Marlene, a Maior; bem como a campanha por Uma Rua Chamada Cantora Marlene, em voga nas redes sociais.

– Pela realização do concurso Miss Universo 2016 no Rio 451 anos (o concurso é assistido por um bilhão de pessoas.  Terceiro evento mais assistido no Planeta).  

– Pela iluminação noturna, permanente e constante ao longo dos vãos e pilares da ponte Rio-Niterói.

http://globoplay.globo.com/v/4878755/    RJTV – TV GLOBO

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2016/03/rio-tem-2-mil-monumentos-mas-menos-de-20-sao-de-figuras-femininas.html   RJTV – TV GLOBO

http://globoplay.globo.com/v/4869464/    RJTV – TV GLOBO

http://odia.ig.com.br/economia/2016-03-02/joao-baptista-f-de-mello-festa-rio.html     Festa Rio – artigo de João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – Jornal O Dia online e impresso 02/03/2016

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2016-01-20/joao-baptista-f-de-mello-sebastian-sebastiao-o-padroeiro-e-a-cancao.html     João Baptista F. de Mello: ‘Sebastian, Sebastião’: o padroeiro e a canção     –  jornal O Dia online e impresso – 20 de janeiro de 2016

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2015-11-29/joao-baptista-f-de-mello-maria-odette-uma-voz-da-mpb.html  Maria Odette, uma Voz da MPB

http://www.youtube.com/watch?v=q4U3m_wl1Uo

Chove Rio – jornal O Dia

http://odia.ig.com.br/portal/opiniao/jo%C3%A3o-baptista-ferreira-de-mello-chove-rio-1.541

 

 

Anúncios

Read Full Post »

Roteiros Geográficos do Rio

 

AGOSTO DE VARGAS E DE NOSSA SENHORA DA GLÓRIA

… e porque nós amamos o nosso lar / lugar, o Rio de São Sebastião

Dia 24 de agosto de 2019 – sábado – às 10 horas

Encontro: Alto do Outeiro da Glória(pegar o Plano Inclinado para chegar)

Aula-passeio grátis, a pé

Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ

Percurso: Igreja de Nossa Senhora do Outeiro da Glória (visita) –  Plano Inclinado  (descida) – Memorial Vargas (visita) – Monumento à abertura dos Portos às Nações Unidas – Praia do Flamengo – Jardins do Museu da República

 www.roteirosdorio.com – (21) 98871 7238 (whatsapp) –

Página do Facebook: Roteiros Geográficos do Rio – Instagram @roteirosgeoriowww.roteirosdorio.com –

Inscrições não são necessárias. Com “casa cheia” recorre-se ao megafone.

Promoção: NeghaRIO – Núcleo de Estudos sobre Geografia Humanística, Artes e Cidade do Rio de Janeiro

Mestrado / Doutorado em Geografia – PPGEO

Instituto  de  Geografia – IGEOG

UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Projeto Roteiros Geográficos do Rio

há 15 anos nas ruas do Rio sempre em defesa da nossa Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro e de São Jorge Guerreiro, Patrimônio Mundial da Humanidade – Primeira Capital Mundial da Arquitetura

 

AVENIDA PRESIDENTE VARGAS – 75 ANOS NESTA DATA SIMBÓLICA

… e porque nós amamos o nosso lar / lugar, o Rio de São Sebastião

7 de setembro (sábado)

encontro: 10 horas da manhã, na estação do metrô Praça Onze

Término: Igreja de Nossa Senhora da Candelária

Roteiro grátis – a pé (aula-passeio até à Igreja da Candelária)

Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello

Promoção: NeghaRio – Instituto de Geografia – UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)

Apoio institucional: Secretaria Municipal de Cultura

(Projeto Roteiros Geográficos do Rio

Homenageando a avenida inaugurada na data simbólica de 7 de setembro de 1944,

em pleno Estado Novo, pelo Presidente Getúlio Vargas e o Prefeito Henrique Dodsworth

www.roteirosdorio.com – (21) 98871 7238 (whats)

581 prédios arrasados para a construção deste traçado

Incluindo 4 igrejas

Candelária poupada pelo Poder Público no último momento e criada um Praça em

sua reverência: Praça Pio X

destruição do berço do samba, a Praça Onze

diversas ruas, travessas, becos, sobrados e casas derruídos ou parcialmente destruídos

Campo de Santana mais uma vez mutilado para dar passagem a este logradouro

2600 metros x 80 metros de largura

Crescimento da avenida neste início de milênio com a edificação de novas towers

Bom Dia, Avenida! (1944)

Samba de carnaval dos compositores Herivelto Martins  &  Grande Otelo

Lá vem a nova avenida / Remodelando a cidade/ Rompendo prédios e ruas/ Os nossos patrimônios de saudade/ É o progresso!/ E o progresso é natural/ Lá vem a nova avenida/ Dizer à sua rival: /

———————————————————–

O coordenador do Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ –  Prof. João Baptista Ferreira de Mello acometido de forte dores na coluna e outras complicações de saúde está de licença médica na UERJ até o dia 21 de julho de 2019. Neste contexto, as atividades dos Roteiros encontram-se, temporariamente, suspensas.

 

https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/11/5595975-joao-baptista-ferreira-de-mello–novembro-negro-de-zumbi-dos-palmares.html

https://pbs.twimg.com/media/Dvtd4xDWwAAO-eQ.jpg

Um mar de gente foi à Pedra do Sal conduzido pelo Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ – / Geógrafo Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – no domingo 30 de dezembro de 2018. (21) 988717238 whats

 

 OPINIÃO – 24/11/2018

Novembro Negro de Zumbi dos Palmares

Por João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA – Divulgação

Zumbi dos Palmares morreu no dia 20 de novembro de 1695 aos 40 anos de idade. Aos 14, libertou-se para se tornar um guerreiro e liderar movimentos em busca da liberdade para os seus pares. Sua bravura espraiou-se por séculos fazendo com que recebesse homenagens tentaculares, a saber: nome do aeroporto em Maceió, busto erguido na Praça Onze, ponto central da chamada Pequena África do Rio de Janeiro, mais feriado em algumas cidades do país, afora se tornar enredo da Unidos de Vila Isabel, nos idos de 1988, quando, no Centenário da Abolição, a escola venceu o carnaval carioca, com o samba-enredo inesquecível ‘Kizomba, Festa da Raça’.

Este arsenal faz jus, honra e engrandece a biografia de Zumbi e o respeito daqueles que louvam sua valentia. Desafortunadamente, nos dias de hoje, negros esquizofrênicos, envergonhados de sua negra condição, sofrendo de uma espécie de submissão e padecendo de transtorno psiquiátrico pertinente a uma alteração cerebral que dificulta o correto julgamento sobre a realidade estão em campos opostos traindo os ideais de liberdade propugnados por Zumbi dos Palmares e seguidores.

Episódios recentes evidenciaram mesmo uma espécie de Síndrome de Estocolmo com a sujeição ao discurso racista e do ódio. Eu avisava: você é negro. Mas, não me ouviam. Não consegui ser convincente em muitas oportunidades. Credo e cruz!

Seja como for, a inestimável contribuição dos negros deve ser sempre ressaltada pois está inscrita na geografia do Rio e de todo o Brasil como fruto de suor, lágrimas e risos, bem como corações e mentes. Trabalho e fé confluíram para uma cultura pulsante como aquela que vicejou na Cidade Nova, com o chorinho e o maxixe, na Praça 11 dos bambas do samba e na decantada Pedra do Sal, lá pros lados da Gamboa.

Gestos, passos, itinerários, bem como toponímias, palavras comuns, saborosa culinária, gingas, esportes, beleza e bossas sobressaem neste caudaloso Rio de toda gente enlaçada à condição negra.

Diante deste estuário de manifestações é desconcertante observar o racismo impregnado na alma de muita gente, cuja demonstração mais descabida esconde-se nos meandros e amplitude do vocábulo moreno.

Os racistas dissimulam e chamam mulatos e negros de todos os matizes simplesmente de “morenos”. Esta é a palavra-chave para ocultar, encobrir o que deveria ser componente de amor-próprio ou autoestima.

Diante de tal quadro é preciso haver uma nova abolição para extirpar as sombras deste dissimulado racismo.

Não há nada errado em ser negro. De que se envergonham os “morenos”? A eliminação desse tipo de preconceito contido no vocábulo “moreno” precisa ser firmada com a retirada desse tolo subterfúgio dos anais e do cotidiano. Portanto, uma agenda de compromissos deve ser perseguida para se viver, com altivez, a plenitude da condição negra.

João Baptista Ferreira de Mello é coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio – Uerj

 

“2022 – BICENTENÁRIO DE INDEPENDÊNCIA DO BRASIL COM O PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO – UERJ – NAS RUAS DO RIO DE SÃO SEBASTIÃO”

 

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/02/opiniao/5512168-joao-baptista-f-de-mello-eu-sou-um-carnaval-no-meio-da-rua.html

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/38607-janelas-e-ruas-de-sao-sebastiao.html

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/5505542-joao-baptista-ferreira-de-mello-janeiro-de-sao-sebastiao.html

 

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/5505542-joao-baptista-ferreira-de-mello-janeiro-de-sao-sebastiao.html Janeiro de São Sebastião.

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/38607-janelas-e-ruas-de-sao-sebastiao.html     Janelas e ruas de São Sebastião

A UERJ RESISTE E VENCERÁ.  1 folha de salário atrasada, após tantas. Mas, o Projeto Roteiro Geográficos do Rio está nas ruas do Rio de São Sebastião.
PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO na Campanha POR UM RIO LIMPO

João Baptista Ferreira de Mello: rosas raras e pioneiras

Na verdade, esta feminina compilação é apenas simbólica, pois ‘são muitas…são tantas/ são todas tão rosa’, pioneiras mulheres desta Aldeia Tupi, nossa Terra de Santa Cruz

Por João Baptista Ferreira de Mello Roteiros Geográficos do Rio da Uerj

João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA
João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA – Divulgação

Rio – ‘Nada como ser Rosa na vida/ rosa mesmo ou mesmo/ Rosa mulher…’ escreveu Caymmi em versos e canção. Neste Dia Internacional da Mulher, prestemos nossas reverências a essas encantadoras, revolucionárias e bravas mulheres.

Iniciemos com Anna Nery, nome de escola universitária de Enfermagem de alto padrão. Ganhou expressão por seus esforços no campo dos socorros e prestação de serviços no Brasil e no Paraguai. Sigamos com Chiquinha Gonzaga, precursora de uma cultura nacional. Abolicionista, republicana, primeira maestrina do país, casou novamente aos 52 anos com um jovem de 16 e com ele permaneceu até sua morte, aos 88 anos. Abram alas para Chiquinha Gonzaga e sua inaugural e eterna marcha-rancho de 119 carnavais.

Avancemos neste nicho da cultura. Tia Ciata, venerável matriarca do samba, reinou nos domínios da Praça 11 dos Bambas e da Pequena África do Rio de Janeiro. Nos palcos, Tônia Carrero pontificou na cena teatral reunindo charme, beleza e talento. Rainha do Rádio, Marlene, soberana dos auditórios superlotados, nos anos 50, foi proibida de cantar no lendário auditório da Rádio Nacional por envergar calça comprida. Só retornou por imposição do público. Marlene foi, também, a primeira mulher a ‘puxar’ um samba-enredo na Avenida para a vitoriosa Império Serrano, nos idos de 1972, com ‘Alô alô, Taí Carmen Miranda’.

 Na placidez religiosa, Irmã Dulce, sem olhar a quem, praticou o bem, espraiando caridade e encorajamento.

Na passarela dos desfiles de beleza, Vera Lúcia Couto dos Santos, do Clube Renascença, sagrou-se Miss Guanabara. Quebrando todos os tabus, foi a primeira negra a se classificar em um concurso internacional, justo nos Estados Unidos em 1964. Para ela, João Roberto Kelly compôs a famosa marchinha ‘Mulata Bossa Nova’. Em outro certame, Lucia Petterle, em 1971, foi coroada nossa única Miss Mundo, em Londres.

No rico cenário da literatura, Carolina Maria de Jesus, uma mulher das favelas de São Paulo, transformou-se da noite para o dia em uma celebridade com a publicação de seu livro ‘Quarto de Despejo’, best-seller no Brasil e no exterior. No cenário político, Dilma Rousseff, nossa primeira presidenta, foi alçada ao Planalto Central com a assombrosa soma de 54 milhões de votos. E louvemos a quem estuda e merece projeção: Rafaela Marchon, 17 anos, cravou 980 pontos no Enem e classificou-se em 3º lugar na Medicina da UFRJ, além de um honroso 5º lugar no Direito da Uerj.

Na verdade, esta feminina compilação é apenas simbólica, pois “são muitas…são tantas/ são todas tão rosa”, pioneiras mulheres desta Aldeia Tupi, nossa Terra de Santa Cruz.

João Baptista Ferreira de Mello é roteiros Geográficos do Rio da Uerj

https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/03/5519952-joao-baptista-ferreira-de-mello-rosas-raras-e-pioneiras.html

PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO na Campanha POR UM RIO LIMPO

 

image003 (1).jpg

No topo de um sobrado em frente ao Palácio do Catete / Museu da República – foto de Michelle Lustosa participante da aula-passeio Descortinando as Geografias do Catete, Flamengo, Glória. 4 de junho de 2017, domingo. Projeto Roteiros Geograficos do Rio – UERJ – Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – Facebook: Roteiros Geográficos do Rio – Instagram: @roteirosgeorio – (21) 98871 7238 whats – Twitter: roteirosgeorio – email: roteirosgeorio@uol.com.br – site: www.roteirosdorio.com

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ

agraciado com o Prêmio Mobilidade Urbana na modalidade Educação e Cultura conferido pela FETRANSPOR em 2010.

e Diploma Heloneida Studart  da Comissão de Cultura da ALERJ – Categoria Patrimônio Material – 2017

———————————————————————————————————————————–

A cultura transita de VLT no Rio Olímpico

de João Baptista Ferreira de Mello

http://odia.ig.com.br/opiniao/2016-07-29/joao-batista-ferreira-de-mello-a-cultura-transita-de-vlt-no-rio-olimpico.html

porta do iphan

image002

Aula Passeio 100 anos de samba na Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional – 10 de julho de 2016.  Foto André Camargo

image003

100 anos de Samba no Valongo, Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional 10 de julho de 2016

image001

Cem Anos de Samba no Valongo, Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional  – 10 de julho de 2016

roteiro_10_outubro_2015_b

roteiro_10_outubro_2015_a

roteiro_10_outubro_2015_d
Fotos: Roteiro no Porto Olímpico, domingo 11 de outubro de 2015

image002

image001

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – há 14 anos nas ruas do Rio sempre em defesa da nossa Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro e de São Jorge Guerreiro, Patrimônio Mundial da Humanidade ——————————————————————————

Coordenação:  Prof.  Dr.  João Baptista  Ferreira de  Mello

Bolsistas: Shaylla do Carmo Netto Vieira,  Kelly Borges de Faria, Gustavo Melo Azeredo, Rodrigo de Anchieta Bento.

Professores Colaboradores: Doutorandos Prof. Ivo Venerotti, Prof.ª Melissa Anjos e Prof.ª  Olga Maíra Figueiredo. 

————————————————————————————

Grátis  –  Instabilidade do tempo pode provocar o cancelamento do Roteiro, favor telefonar para confirmar, em caso de dúvida (21 98871 7238).

Inscrições não são necessárias.

—————————————————————————————————

Promovem estes eventos: NeghaRIO  –  Núcleo de Estudos sobre Geografia Humanística, Artes e Cidade do Rio de Janeiro  PPGEO – Mestrado / Doutorado em Geografia – UERJ     IGEOG – Instituto de Geografia   UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro Com o apoio institucional da SMC – Secretaria Municipal de Cultural do Rio de Janeiro

————————————————————————————

Roteiros Geográficos da UERJ há 14 anos nas ruas do Rio. Site http://www.roteirosdorio.com há 5 anos na web e com mais 388.000 acessos até março de 2016.

————————————————————————————

Prêmio FETRANSPOR – Mobilidade Urbana – Educação e Cultura – Menção Honrosa

“Geografia é o estudo da Terra como o lar das pessoas” conceituação em voga nos anos quarenta retomada, na década de setenta, pelo geógrafo Yi-Fu Tuan

“Deus nos fala nos mapas com sua voz geógrafa” poeta Adélia Prado

————————————————————————————

ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO procurando contribuir para a auto-estima do carioca e participando das campanhas

– Conserve sua cidade limpa. Não jogue lixo no chão sagrado do nosso lar / lugar, o Rio de São Sebastião. Se não encontrar uma cesta de lixo, leve-o para casa. Quem produz o lixo é o indivíduo e não o Estado ou a Prefeitura.

– Os Roteiros Geográficos do Rio perfilam com as diversas sugestões e solicitações com vistas ao erguimento de uma estátua para a cantora e atriz Marlene, a Maior; bem como a campanha por Uma Rua Chamada Cantora Marlene, em voga nas redes sociais.

– Pela realização do concurso Miss Universo 2016 no Rio 451 anos (o concurso é assistido por um bilhão de pessoas.  Terceiro evento mais assistido no Planeta).  

– Pela iluminação noturna, permanente e constante ao longo dos vãos e pilares da ponte Rio-Niterói.

http://globoplay.globo.com/v/4878755/    RJTV – TV GLOBO

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2016/03/rio-tem-2-mil-monumentos-mas-menos-de-20-sao-de-figuras-femininas.html   RJTV – TV GLOBO

http://globoplay.globo.com/v/4869464/    RJTV – TV GLOBO

http://odia.ig.com.br/economia/2016-03-02/joao-baptista-f-de-mello-festa-rio.html     Festa Rio – artigo de João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – Jornal O Dia online e impresso 02/03/2016

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2016-01-20/joao-baptista-f-de-mello-sebastian-sebastiao-o-padroeiro-e-a-cancao.html     João Baptista F. de Mello: ‘Sebastian, Sebastião’: o padroeiro e a canção     –  jornal O Dia online e impresso – 20 de janeiro de 2016

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2015-11-29/joao-baptista-f-de-mello-maria-odette-uma-voz-da-mpb.html  Maria Odette, uma Voz da MPB

http://www.youtube.com/watch?v=q4U3m_wl1Uo

Chove Rio – jornal O Dia

http://odia.ig.com.br/portal/opiniao/jo%C3%A3o-baptista-ferreira-de-mello-chove-rio-1.541

 

 

Read Full Post »

Roteiros Geográficos do Rio

 

AGOSTO DE VARGAS E DE NOSSA SENHORA DA GLÓRIA

… e porque nós amamos o nosso lar / lugar, o Rio de São Sebastião

Dia 24 de agosto de 2019 – sábado – às 10 horas

Encontro: calçada do Palácio do Catete / Museu da República – Rua do Catete,

Aula-passeio grátis, a pé

Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ

Percurso: Igreja de Nossa Senhora do Outeiro da Glória (visita) –  Plano Inclinado  (descida) – Memorial Vargas (visita) – Monumento à abertura dos Portos às Nações Unidas – Praia do Flamengo – Jardins do Museu da República

 www.roteirosdorio.com – (21) 98871 7238 (whatsapp) –

Página do Facebook: Roteiros Geográficos do Rio – Instagram @roteirosgeoriowww.roteirosdorio.com –

Inscrições não são necessárias. Com “casa cheia” recorre-se ao megafone.

Promoção: NeghaRIO – Núcleo de Estudos sobre Geografia Humanística, Artes e Cidade do Rio de Janeiro

Mestrado / Doutorado em Geografia – PPGEO

Instituto  de  Geografia – IGEOG

UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Projeto Roteiros Geográficos do Rio

há 15 anos nas ruas do Rio sempre em defesa da nossa Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro e de São Jorge Guerreiro, Patrimônio Mundial da Humanidade – Primeira Capital Mundial da Arquitetura

 

AVENIDA PRESIDENTE VARGAS – 75 ANOS NESTA DATA SIMBÓLICA

… e porque nós amamos o nosso lar / lugar, o Rio de São Sebastião

7 de setembro (sábado)

encontro: 10 horas da manhã, na estação do metrô Praça Onze

Término: Igreja de Nossa Senhora da Candelária

Roteiro grátis – a pé (aula-passeio até à Igreja da Candelária)

Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello

Promoção: NeghaRio – Instituto de Geografia – UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)

Apoio institucional: Secretaria Municipal de Cultura

(Projeto Roteiros Geográficos do Rio

Homenageando a avenida inaugurada na data simbólica de 7 de setembro de 1944,

em pleno Estado Novo, pelo Presidente Getúlio Vargas e o Prefeito Henrique Dodsworth

www.roteirosdorio.com – (21) 98871 7238 (whats)

581 prédios arrasados para a construção deste traçado

Incluindo 4 igrejas

Candelária poupada pelo Poder Público no último momento e criada um Praça em

sua reverência: Praça Pio X

destruição do berço do samba, a Praça Onze

diversas ruas, travessas, becos, sobrados e casas derruídos ou parcialmente destruídos

Campo de Santana mais uma vez mutilado para dar passagem a este logradouro

2600 metros x 80 metros de largura

Crescimento da avenida neste início de milênio com a edificação de novas towers

Bom Dia, Avenida! (1944)

Samba de carnaval dos compositores Herivelto Martins  &  Grande Otelo

Lá vem a nova avenida / Remodelando a cidade/ Rompendo prédios e ruas/ Os nossos patrimônios de saudade/ É o progresso!/ E o progresso é natural/ Lá vem a nova avenida/ Dizer à sua rival: /

———————————————————–

O coordenador do Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ –  Prof. João Baptista Ferreira de Mello acometido de forte dores na coluna e outras complicações de saúde está de licença médica na UERJ até o dia 21 de julho de 2019. Neste contexto, as atividades dos Roteiros encontram-se, temporariamente, suspensas.

 

https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/11/5595975-joao-baptista-ferreira-de-mello–novembro-negro-de-zumbi-dos-palmares.html

https://pbs.twimg.com/media/Dvtd4xDWwAAO-eQ.jpg

Um mar de gente foi à Pedra do Sal conduzido pelo Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ – / Geógrafo Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – no domingo 30 de dezembro de 2018. (21) 988717238 whats

 

 OPINIÃO – 24/11/2018

Novembro Negro de Zumbi dos Palmares

Por João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA – Divulgação

Zumbi dos Palmares morreu no dia 20 de novembro de 1695 aos 40 anos de idade. Aos 14, libertou-se para se tornar um guerreiro e liderar movimentos em busca da liberdade para os seus pares. Sua bravura espraiou-se por séculos fazendo com que recebesse homenagens tentaculares, a saber: nome do aeroporto em Maceió, busto erguido na Praça Onze, ponto central da chamada Pequena África do Rio de Janeiro, mais feriado em algumas cidades do país, afora se tornar enredo da Unidos de Vila Isabel, nos idos de 1988, quando, no Centenário da Abolição, a escola venceu o carnaval carioca, com o samba-enredo inesquecível ‘Kizomba, Festa da Raça’.

Este arsenal faz jus, honra e engrandece a biografia de Zumbi e o respeito daqueles que louvam sua valentia. Desafortunadamente, nos dias de hoje, negros esquizofrênicos, envergonhados de sua negra condição, sofrendo de uma espécie de submissão e padecendo de transtorno psiquiátrico pertinente a uma alteração cerebral que dificulta o correto julgamento sobre a realidade estão em campos opostos traindo os ideais de liberdade propugnados por Zumbi dos Palmares e seguidores.

Episódios recentes evidenciaram mesmo uma espécie de Síndrome de Estocolmo com a sujeição ao discurso racista e do ódio. Eu avisava: você é negro. Mas, não me ouviam. Não consegui ser convincente em muitas oportunidades. Credo e cruz!

Seja como for, a inestimável contribuição dos negros deve ser sempre ressaltada pois está inscrita na geografia do Rio e de todo o Brasil como fruto de suor, lágrimas e risos, bem como corações e mentes. Trabalho e fé confluíram para uma cultura pulsante como aquela que vicejou na Cidade Nova, com o chorinho e o maxixe, na Praça 11 dos bambas do samba e na decantada Pedra do Sal, lá pros lados da Gamboa.

Gestos, passos, itinerários, bem como toponímias, palavras comuns, saborosa culinária, gingas, esportes, beleza e bossas sobressaem neste caudaloso Rio de toda gente enlaçada à condição negra.

Diante deste estuário de manifestações é desconcertante observar o racismo impregnado na alma de muita gente, cuja demonstração mais descabida esconde-se nos meandros e amplitude do vocábulo moreno.

Os racistas dissimulam e chamam mulatos e negros de todos os matizes simplesmente de “morenos”. Esta é a palavra-chave para ocultar, encobrir o que deveria ser componente de amor-próprio ou autoestima.

Diante de tal quadro é preciso haver uma nova abolição para extirpar as sombras deste dissimulado racismo.

Não há nada errado em ser negro. De que se envergonham os “morenos”? A eliminação desse tipo de preconceito contido no vocábulo “moreno” precisa ser firmada com a retirada desse tolo subterfúgio dos anais e do cotidiano. Portanto, uma agenda de compromissos deve ser perseguida para se viver, com altivez, a plenitude da condição negra.

João Baptista Ferreira de Mello é coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio – Uerj

 

“2022 – BICENTENÁRIO DE INDEPENDÊNCIA DO BRASIL COM O PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO – UERJ – NAS RUAS DO RIO DE SÃO SEBASTIÃO”

 

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/02/opiniao/5512168-joao-baptista-f-de-mello-eu-sou-um-carnaval-no-meio-da-rua.html

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/38607-janelas-e-ruas-de-sao-sebastiao.html

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/5505542-joao-baptista-ferreira-de-mello-janeiro-de-sao-sebastiao.html

 

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/5505542-joao-baptista-ferreira-de-mello-janeiro-de-sao-sebastiao.html Janeiro de São Sebastião.

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/38607-janelas-e-ruas-de-sao-sebastiao.html     Janelas e ruas de São Sebastião

A UERJ RESISTE E VENCERÁ.  1 folha de salário atrasada, após tantas. Mas, o Projeto Roteiro Geográficos do Rio está nas ruas do Rio de São Sebastião.
PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO na Campanha POR UM RIO LIMPO

João Baptista Ferreira de Mello: rosas raras e pioneiras

Na verdade, esta feminina compilação é apenas simbólica, pois ‘são muitas…são tantas/ são todas tão rosa’, pioneiras mulheres desta Aldeia Tupi, nossa Terra de Santa Cruz

Por João Baptista Ferreira de Mello Roteiros Geográficos do Rio da Uerj

João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA
João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA – Divulgação

Rio – ‘Nada como ser Rosa na vida/ rosa mesmo ou mesmo/ Rosa mulher…’ escreveu Caymmi em versos e canção. Neste Dia Internacional da Mulher, prestemos nossas reverências a essas encantadoras, revolucionárias e bravas mulheres.

Iniciemos com Anna Nery, nome de escola universitária de Enfermagem de alto padrão. Ganhou expressão por seus esforços no campo dos socorros e prestação de serviços no Brasil e no Paraguai. Sigamos com Chiquinha Gonzaga, precursora de uma cultura nacional. Abolicionista, republicana, primeira maestrina do país, casou novamente aos 52 anos com um jovem de 16 e com ele permaneceu até sua morte, aos 88 anos. Abram alas para Chiquinha Gonzaga e sua inaugural e eterna marcha-rancho de 119 carnavais.

Avancemos neste nicho da cultura. Tia Ciata, venerável matriarca do samba, reinou nos domínios da Praça 11 dos Bambas e da Pequena África do Rio de Janeiro. Nos palcos, Tônia Carrero pontificou na cena teatral reunindo charme, beleza e talento. Rainha do Rádio, Marlene, soberana dos auditórios superlotados, nos anos 50, foi proibida de cantar no lendário auditório da Rádio Nacional por envergar calça comprida. Só retornou por imposição do público. Marlene foi, também, a primeira mulher a ‘puxar’ um samba-enredo na Avenida para a vitoriosa Império Serrano, nos idos de 1972, com ‘Alô alô, Taí Carmen Miranda’.

 Na placidez religiosa, Irmã Dulce, sem olhar a quem, praticou o bem, espraiando caridade e encorajamento.

Na passarela dos desfiles de beleza, Vera Lúcia Couto dos Santos, do Clube Renascença, sagrou-se Miss Guanabara. Quebrando todos os tabus, foi a primeira negra a se classificar em um concurso internacional, justo nos Estados Unidos em 1964. Para ela, João Roberto Kelly compôs a famosa marchinha ‘Mulata Bossa Nova’. Em outro certame, Lucia Petterle, em 1971, foi coroada nossa única Miss Mundo, em Londres.

No rico cenário da literatura, Carolina Maria de Jesus, uma mulher das favelas de São Paulo, transformou-se da noite para o dia em uma celebridade com a publicação de seu livro ‘Quarto de Despejo’, best-seller no Brasil e no exterior. No cenário político, Dilma Rousseff, nossa primeira presidenta, foi alçada ao Planalto Central com a assombrosa soma de 54 milhões de votos. E louvemos a quem estuda e merece projeção: Rafaela Marchon, 17 anos, cravou 980 pontos no Enem e classificou-se em 3º lugar na Medicina da UFRJ, além de um honroso 5º lugar no Direito da Uerj.

Na verdade, esta feminina compilação é apenas simbólica, pois “são muitas…são tantas/ são todas tão rosa”, pioneiras mulheres desta Aldeia Tupi, nossa Terra de Santa Cruz.

João Baptista Ferreira de Mello é roteiros Geográficos do Rio da Uerj

https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/03/5519952-joao-baptista-ferreira-de-mello-rosas-raras-e-pioneiras.html

PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO na Campanha POR UM RIO LIMPO

 

image003 (1).jpg

No topo de um sobrado em frente ao Palácio do Catete / Museu da República – foto de Michelle Lustosa participante da aula-passeio Descortinando as Geografias do Catete, Flamengo, Glória. 4 de junho de 2017, domingo. Projeto Roteiros Geograficos do Rio – UERJ – Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – Facebook: Roteiros Geográficos do Rio – Instagram: @roteirosgeorio – (21) 98871 7238 whats – Twitter: roteirosgeorio – email: roteirosgeorio@uol.com.br – site: www.roteirosdorio.com

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ

agraciado com o Prêmio Mobilidade Urbana na modalidade Educação e Cultura conferido pela FETRANSPOR em 2010.

e Diploma Heloneida Studart  da Comissão de Cultura da ALERJ – Categoria Patrimônio Material – 2017

———————————————————————————————————————————–

A cultura transita de VLT no Rio Olímpico

de João Baptista Ferreira de Mello

http://odia.ig.com.br/opiniao/2016-07-29/joao-batista-ferreira-de-mello-a-cultura-transita-de-vlt-no-rio-olimpico.html

porta do iphan

image002

Aula Passeio 100 anos de samba na Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional – 10 de julho de 2016.  Foto André Camargo

image003

100 anos de Samba no Valongo, Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional 10 de julho de 2016

image001

Cem Anos de Samba no Valongo, Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional  – 10 de julho de 2016

roteiro_10_outubro_2015_b

roteiro_10_outubro_2015_a

roteiro_10_outubro_2015_d
Fotos: Roteiro no Porto Olímpico, domingo 11 de outubro de 2015

image002

image001

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – há 14 anos nas ruas do Rio sempre em defesa da nossa Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro e de São Jorge Guerreiro, Patrimônio Mundial da Humanidade ——————————————————————————

Coordenação:  Prof.  Dr.  João Baptista  Ferreira de  Mello

Bolsistas: Shaylla do Carmo Netto Vieira,  Kelly Borges de Faria, Gustavo Melo Azeredo, Rodrigo de Anchieta Bento.

Professores Colaboradores: Doutorandos Prof. Ivo Venerotti, Prof.ª Melissa Anjos e Prof.ª  Olga Maíra Figueiredo. 

————————————————————————————

Grátis  –  Instabilidade do tempo pode provocar o cancelamento do Roteiro, favor telefonar para confirmar, em caso de dúvida (21 98871 7238).

Inscrições não são necessárias.

—————————————————————————————————

Promovem estes eventos: NeghaRIO  –  Núcleo de Estudos sobre Geografia Humanística, Artes e Cidade do Rio de Janeiro  PPGEO – Mestrado / Doutorado em Geografia – UERJ     IGEOG – Instituto de Geografia   UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro Com o apoio institucional da SMC – Secretaria Municipal de Cultural do Rio de Janeiro

————————————————————————————

Roteiros Geográficos da UERJ há 14 anos nas ruas do Rio. Site http://www.roteirosdorio.com há 5 anos na web e com mais 388.000 acessos até março de 2016.

————————————————————————————

Prêmio FETRANSPOR – Mobilidade Urbana – Educação e Cultura – Menção Honrosa

“Geografia é o estudo da Terra como o lar das pessoas” conceituação em voga nos anos quarenta retomada, na década de setenta, pelo geógrafo Yi-Fu Tuan

“Deus nos fala nos mapas com sua voz geógrafa” poeta Adélia Prado

————————————————————————————

ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO procurando contribuir para a auto-estima do carioca e participando das campanhas

– Conserve sua cidade limpa. Não jogue lixo no chão sagrado do nosso lar / lugar, o Rio de São Sebastião. Se não encontrar uma cesta de lixo, leve-o para casa. Quem produz o lixo é o indivíduo e não o Estado ou a Prefeitura.

– Os Roteiros Geográficos do Rio perfilam com as diversas sugestões e solicitações com vistas ao erguimento de uma estátua para a cantora e atriz Marlene, a Maior; bem como a campanha por Uma Rua Chamada Cantora Marlene, em voga nas redes sociais.

– Pela realização do concurso Miss Universo 2016 no Rio 451 anos (o concurso é assistido por um bilhão de pessoas.  Terceiro evento mais assistido no Planeta).  

– Pela iluminação noturna, permanente e constante ao longo dos vãos e pilares da ponte Rio-Niterói.

http://globoplay.globo.com/v/4878755/    RJTV – TV GLOBO

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2016/03/rio-tem-2-mil-monumentos-mas-menos-de-20-sao-de-figuras-femininas.html   RJTV – TV GLOBO

http://globoplay.globo.com/v/4869464/    RJTV – TV GLOBO

http://odia.ig.com.br/economia/2016-03-02/joao-baptista-f-de-mello-festa-rio.html     Festa Rio – artigo de João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – Jornal O Dia online e impresso 02/03/2016

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2016-01-20/joao-baptista-f-de-mello-sebastian-sebastiao-o-padroeiro-e-a-cancao.html     João Baptista F. de Mello: ‘Sebastian, Sebastião’: o padroeiro e a canção     –  jornal O Dia online e impresso – 20 de janeiro de 2016

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2015-11-29/joao-baptista-f-de-mello-maria-odette-uma-voz-da-mpb.html  Maria Odette, uma Voz da MPB

http://www.youtube.com/watch?v=q4U3m_wl1Uo

Chove Rio – jornal O Dia

http://odia.ig.com.br/portal/opiniao/jo%C3%A3o-baptista-ferreira-de-mello-chove-rio-1.541

 

 

Read Full Post »

Roteiros Geográficos do Rio

OLÍMPICA AQUARELA DO BRASIL – 80 ANOS

Próximo domingo Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ – sob a coordenação do Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – retornará às ruas da cidade às 15 horas do dia 18 de agosto com a aula-passeio grátis, a pé OLÍMPICA AQUARELA DO BRASIL – 80 ANOS em homenagem ao octagenário samba de Ary Barroso. Lugar de encontro: confluência das ruas Carioca com Ramalho Ortigão no Centro da Olímpica & Maravilhosa. Aquarela do Brasil foi gravada por Francisco Alves em 18/08/1939 e utilizada tal gravação na entrada dos nossos atletas na Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos do Rio 2016 – @roteirosgeorio – 988717238 whats – roteirosdorio.com

 

AGOSTO DE VARGAS E DE NOSSA SENHORA DA GLÓRIA

… e porque nós amamos o nosso lar / lugar, o Rio de São Sebastião

Dia 24 de agosto de 2019 – sábado – às 10 horas

Encontro: calçada do Palácio do Catete / Museu da República – Rua do Catete,

Aula-passeio grátis, a pé

Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ

Percurso: Igreja de Nossa Senhora do Outeiro da Glória (visita) –  Plano Inclinado  (descida) – Memorial Vargas (visita) – Monumento à abertura dos Portos às Nações Unidas – Praia do Flamengo – Jardins do Museu da República

 www.roteirosdorio.com – (21) 98871 7238 (whatsapp) –

Página do Facebook: Roteiros Geográficos do Rio – Instagram @roteirosgeoriowww.roteirosdorio.com –

Inscrições não são necessárias. Com “casa cheia” recorre-se ao megafone.

Promoção: NeghaRIO – Núcleo de Estudos sobre Geografia Humanística, Artes e Cidade do Rio de Janeiro

Mestrado / Doutorado em Geografia – PPGEO

Instituto  de  Geografia – IGEOG

UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro

Projeto Roteiros Geográficos do Rio

há 15 anos nas ruas do Rio sempre em defesa da nossa Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro e de São Jorge Guerreiro, Patrimônio Mundial da Humanidade – Primeira Capital Mundial da Arquitetura

 

AVENIDA PRESIDENTE VARGAS – 75 ANOS NESTA DATA SIMBÓLICA

… e porque nós amamos o nosso lar / lugar, o Rio de São Sebastião

7 de setembro (sábado)

encontro: 10 horas da manhã, na estação do metrô Praça Onze

Término: Igreja de Nossa Senhora da Candelária

Roteiro grátis – a pé (aula-passeio até à Igreja da Candelária)

Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello

Promoção: NeghaRio – Instituto de Geografia – UERJ (Universidade do Estado do Rio de Janeiro)

Apoio institucional: Secretaria Municipal de Cultura

(Projeto Roteiros Geográficos do Rio

Homenageando a avenida inaugurada na data simbólica de 7 de setembro de 1944,

em pleno Estado Novo, pelo Presidente Getúlio Vargas e o Prefeito Henrique Dodsworth

www.roteirosdorio.com – (21) 98871 7238 (whats)

581 prédios arrasados para a construção deste traçado

Incluindo 4 igrejas

Candelária poupada pelo Poder Público no último momento e criada um Praça em

sua reverência: Praça Pio X

destruição do berço do samba, a Praça Onze

diversas ruas, travessas, becos, sobrados e casas derruídos ou parcialmente destruídos

Campo de Santana mais uma vez mutilado para dar passagem a este logradouro

2600 metros x 80 metros de largura

Crescimento da avenida neste início de milênio com a edificação de novas towers

Bom Dia, Avenida! (1944)

Samba de carnaval dos compositores Herivelto Martins  &  Grande Otelo

Lá vem a nova avenida / Remodelando a cidade/ Rompendo prédios e ruas/ Os nossos patrimônios de saudade/ É o progresso!/ E o progresso é natural/ Lá vem a nova avenida/ Dizer à sua rival: /

———————————————————–

O coordenador do Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ –  Prof. João Baptista Ferreira de Mello acometido de forte dores na coluna e outras complicações de saúde está de licença médica na UERJ até o dia 21 de julho de 2019. Neste contexto, as atividades dos Roteiros encontram-se, temporariamente, suspensas.

 

https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/11/5595975-joao-baptista-ferreira-de-mello–novembro-negro-de-zumbi-dos-palmares.html

https://pbs.twimg.com/media/Dvtd4xDWwAAO-eQ.jpg

Um mar de gente foi à Pedra do Sal conduzido pelo Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ – / Geógrafo Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – no domingo 30 de dezembro de 2018. (21) 988717238 whats

 

 OPINIÃO – 24/11/2018

Novembro Negro de Zumbi dos Palmares

Por João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA – Divulgação

Zumbi dos Palmares morreu no dia 20 de novembro de 1695 aos 40 anos de idade. Aos 14, libertou-se para se tornar um guerreiro e liderar movimentos em busca da liberdade para os seus pares. Sua bravura espraiou-se por séculos fazendo com que recebesse homenagens tentaculares, a saber: nome do aeroporto em Maceió, busto erguido na Praça Onze, ponto central da chamada Pequena África do Rio de Janeiro, mais feriado em algumas cidades do país, afora se tornar enredo da Unidos de Vila Isabel, nos idos de 1988, quando, no Centenário da Abolição, a escola venceu o carnaval carioca, com o samba-enredo inesquecível ‘Kizomba, Festa da Raça’.

Este arsenal faz jus, honra e engrandece a biografia de Zumbi e o respeito daqueles que louvam sua valentia. Desafortunadamente, nos dias de hoje, negros esquizofrênicos, envergonhados de sua negra condição, sofrendo de uma espécie de submissão e padecendo de transtorno psiquiátrico pertinente a uma alteração cerebral que dificulta o correto julgamento sobre a realidade estão em campos opostos traindo os ideais de liberdade propugnados por Zumbi dos Palmares e seguidores.

Episódios recentes evidenciaram mesmo uma espécie de Síndrome de Estocolmo com a sujeição ao discurso racista e do ódio. Eu avisava: você é negro. Mas, não me ouviam. Não consegui ser convincente em muitas oportunidades. Credo e cruz!

Seja como for, a inestimável contribuição dos negros deve ser sempre ressaltada pois está inscrita na geografia do Rio e de todo o Brasil como fruto de suor, lágrimas e risos, bem como corações e mentes. Trabalho e fé confluíram para uma cultura pulsante como aquela que vicejou na Cidade Nova, com o chorinho e o maxixe, na Praça 11 dos bambas do samba e na decantada Pedra do Sal, lá pros lados da Gamboa.

Gestos, passos, itinerários, bem como toponímias, palavras comuns, saborosa culinária, gingas, esportes, beleza e bossas sobressaem neste caudaloso Rio de toda gente enlaçada à condição negra.

Diante deste estuário de manifestações é desconcertante observar o racismo impregnado na alma de muita gente, cuja demonstração mais descabida esconde-se nos meandros e amplitude do vocábulo moreno.

Os racistas dissimulam e chamam mulatos e negros de todos os matizes simplesmente de “morenos”. Esta é a palavra-chave para ocultar, encobrir o que deveria ser componente de amor-próprio ou autoestima.

Diante de tal quadro é preciso haver uma nova abolição para extirpar as sombras deste dissimulado racismo.

Não há nada errado em ser negro. De que se envergonham os “morenos”? A eliminação desse tipo de preconceito contido no vocábulo “moreno” precisa ser firmada com a retirada desse tolo subterfúgio dos anais e do cotidiano. Portanto, uma agenda de compromissos deve ser perseguida para se viver, com altivez, a plenitude da condição negra.

João Baptista Ferreira de Mello é coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio – Uerj

 

“2022 – BICENTENÁRIO DE INDEPENDÊNCIA DO BRASIL COM O PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO – UERJ – NAS RUAS DO RIO DE SÃO SEBASTIÃO”

 

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/02/opiniao/5512168-joao-baptista-f-de-mello-eu-sou-um-carnaval-no-meio-da-rua.html

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/38607-janelas-e-ruas-de-sao-sebastiao.html

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/5505542-joao-baptista-ferreira-de-mello-janeiro-de-sao-sebastiao.html

 

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/5505542-joao-baptista-ferreira-de-mello-janeiro-de-sao-sebastiao.html Janeiro de São Sebastião.

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/38607-janelas-e-ruas-de-sao-sebastiao.html     Janelas e ruas de São Sebastião

A UERJ RESISTE E VENCERÁ.  1 folha de salário atrasada, após tantas. Mas, o Projeto Roteiro Geográficos do Rio está nas ruas do Rio de São Sebastião.
PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO na Campanha POR UM RIO LIMPO

João Baptista Ferreira de Mello: rosas raras e pioneiras

Na verdade, esta feminina compilação é apenas simbólica, pois ‘são muitas…são tantas/ são todas tão rosa’, pioneiras mulheres desta Aldeia Tupi, nossa Terra de Santa Cruz

Por João Baptista Ferreira de Mello Roteiros Geográficos do Rio da Uerj

João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA
João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA – Divulgação

Rio – ‘Nada como ser Rosa na vida/ rosa mesmo ou mesmo/ Rosa mulher…’ escreveu Caymmi em versos e canção. Neste Dia Internacional da Mulher, prestemos nossas reverências a essas encantadoras, revolucionárias e bravas mulheres.

Iniciemos com Anna Nery, nome de escola universitária de Enfermagem de alto padrão. Ganhou expressão por seus esforços no campo dos socorros e prestação de serviços no Brasil e no Paraguai. Sigamos com Chiquinha Gonzaga, precursora de uma cultura nacional. Abolicionista, republicana, primeira maestrina do país, casou novamente aos 52 anos com um jovem de 16 e com ele permaneceu até sua morte, aos 88 anos. Abram alas para Chiquinha Gonzaga e sua inaugural e eterna marcha-rancho de 119 carnavais.

Avancemos neste nicho da cultura. Tia Ciata, venerável matriarca do samba, reinou nos domínios da Praça 11 dos Bambas e da Pequena África do Rio de Janeiro. Nos palcos, Tônia Carrero pontificou na cena teatral reunindo charme, beleza e talento. Rainha do Rádio, Marlene, soberana dos auditórios superlotados, nos anos 50, foi proibida de cantar no lendário auditório da Rádio Nacional por envergar calça comprida. Só retornou por imposição do público. Marlene foi, também, a primeira mulher a ‘puxar’ um samba-enredo na Avenida para a vitoriosa Império Serrano, nos idos de 1972, com ‘Alô alô, Taí Carmen Miranda’.

 Na placidez religiosa, Irmã Dulce, sem olhar a quem, praticou o bem, espraiando caridade e encorajamento.

Na passarela dos desfiles de beleza, Vera Lúcia Couto dos Santos, do Clube Renascença, sagrou-se Miss Guanabara. Quebrando todos os tabus, foi a primeira negra a se classificar em um concurso internacional, justo nos Estados Unidos em 1964. Para ela, João Roberto Kelly compôs a famosa marchinha ‘Mulata Bossa Nova’. Em outro certame, Lucia Petterle, em 1971, foi coroada nossa única Miss Mundo, em Londres.

No rico cenário da literatura, Carolina Maria de Jesus, uma mulher das favelas de São Paulo, transformou-se da noite para o dia em uma celebridade com a publicação de seu livro ‘Quarto de Despejo’, best-seller no Brasil e no exterior. No cenário político, Dilma Rousseff, nossa primeira presidenta, foi alçada ao Planalto Central com a assombrosa soma de 54 milhões de votos. E louvemos a quem estuda e merece projeção: Rafaela Marchon, 17 anos, cravou 980 pontos no Enem e classificou-se em 3º lugar na Medicina da UFRJ, além de um honroso 5º lugar no Direito da Uerj.

Na verdade, esta feminina compilação é apenas simbólica, pois “são muitas…são tantas/ são todas tão rosa”, pioneiras mulheres desta Aldeia Tupi, nossa Terra de Santa Cruz.

João Baptista Ferreira de Mello é roteiros Geográficos do Rio da Uerj

https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/03/5519952-joao-baptista-ferreira-de-mello-rosas-raras-e-pioneiras.html

PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO na Campanha POR UM RIO LIMPO

 

image003 (1).jpg

No topo de um sobrado em frente ao Palácio do Catete / Museu da República – foto de Michelle Lustosa participante da aula-passeio Descortinando as Geografias do Catete, Flamengo, Glória. 4 de junho de 2017, domingo. Projeto Roteiros Geograficos do Rio – UERJ – Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – Facebook: Roteiros Geográficos do Rio – Instagram: @roteirosgeorio – (21) 98871 7238 whats – Twitter: roteirosgeorio – email: roteirosgeorio@uol.com.br – site: www.roteirosdorio.com

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ

agraciado com o Prêmio Mobilidade Urbana na modalidade Educação e Cultura conferido pela FETRANSPOR em 2010.

e Diploma Heloneida Studart  da Comissão de Cultura da ALERJ – Categoria Patrimônio Material – 2017

———————————————————————————————————————————–

A cultura transita de VLT no Rio Olímpico

de João Baptista Ferreira de Mello

http://odia.ig.com.br/opiniao/2016-07-29/joao-batista-ferreira-de-mello-a-cultura-transita-de-vlt-no-rio-olimpico.html

porta do iphan

image002

Aula Passeio 100 anos de samba na Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional – 10 de julho de 2016.  Foto André Camargo

image003

100 anos de Samba no Valongo, Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional 10 de julho de 2016

image001

Cem Anos de Samba no Valongo, Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional  – 10 de julho de 2016

roteiro_10_outubro_2015_b

roteiro_10_outubro_2015_a

roteiro_10_outubro_2015_d
Fotos: Roteiro no Porto Olímpico, domingo 11 de outubro de 2015

image002

image001

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – há 14 anos nas ruas do Rio sempre em defesa da nossa Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro e de São Jorge Guerreiro, Patrimônio Mundial da Humanidade ——————————————————————————

Coordenação:  Prof.  Dr.  João Baptista  Ferreira de  Mello

Bolsistas: Shaylla do Carmo Netto Vieira,  Kelly Borges de Faria, Gustavo Melo Azeredo, Rodrigo de Anchieta Bento.

Professores Colaboradores: Doutorandos Prof. Ivo Venerotti, Prof.ª Melissa Anjos e Prof.ª  Olga Maíra Figueiredo. 

————————————————————————————

Grátis  –  Instabilidade do tempo pode provocar o cancelamento do Roteiro, favor telefonar para confirmar, em caso de dúvida (21 98871 7238).

Inscrições não são necessárias.

—————————————————————————————————

Promovem estes eventos: NeghaRIO  –  Núcleo de Estudos sobre Geografia Humanística, Artes e Cidade do Rio de Janeiro  PPGEO – Mestrado / Doutorado em Geografia – UERJ     IGEOG – Instituto de Geografia   UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro Com o apoio institucional da SMC – Secretaria Municipal de Cultural do Rio de Janeiro

————————————————————————————

Roteiros Geográficos da UERJ há 14 anos nas ruas do Rio. Site http://www.roteirosdorio.com há 5 anos na web e com mais 388.000 acessos até março de 2016.

————————————————————————————

Prêmio FETRANSPOR – Mobilidade Urbana – Educação e Cultura – Menção Honrosa

“Geografia é o estudo da Terra como o lar das pessoas” conceituação em voga nos anos quarenta retomada, na década de setenta, pelo geógrafo Yi-Fu Tuan

“Deus nos fala nos mapas com sua voz geógrafa” poeta Adélia Prado

————————————————————————————

ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO procurando contribuir para a auto-estima do carioca e participando das campanhas

– Conserve sua cidade limpa. Não jogue lixo no chão sagrado do nosso lar / lugar, o Rio de São Sebastião. Se não encontrar uma cesta de lixo, leve-o para casa. Quem produz o lixo é o indivíduo e não o Estado ou a Prefeitura.

– Os Roteiros Geográficos do Rio perfilam com as diversas sugestões e solicitações com vistas ao erguimento de uma estátua para a cantora e atriz Marlene, a Maior; bem como a campanha por Uma Rua Chamada Cantora Marlene, em voga nas redes sociais.

– Pela realização do concurso Miss Universo 2016 no Rio 451 anos (o concurso é assistido por um bilhão de pessoas.  Terceiro evento mais assistido no Planeta).  

– Pela iluminação noturna, permanente e constante ao longo dos vãos e pilares da ponte Rio-Niterói.

http://globoplay.globo.com/v/4878755/    RJTV – TV GLOBO

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2016/03/rio-tem-2-mil-monumentos-mas-menos-de-20-sao-de-figuras-femininas.html   RJTV – TV GLOBO

http://globoplay.globo.com/v/4869464/    RJTV – TV GLOBO

http://odia.ig.com.br/economia/2016-03-02/joao-baptista-f-de-mello-festa-rio.html     Festa Rio – artigo de João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – Jornal O Dia online e impresso 02/03/2016

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2016-01-20/joao-baptista-f-de-mello-sebastian-sebastiao-o-padroeiro-e-a-cancao.html     João Baptista F. de Mello: ‘Sebastian, Sebastião’: o padroeiro e a canção     –  jornal O Dia online e impresso – 20 de janeiro de 2016

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2015-11-29/joao-baptista-f-de-mello-maria-odette-uma-voz-da-mpb.html  Maria Odette, uma Voz da MPB

http://www.youtube.com/watch?v=q4U3m_wl1Uo

Chove Rio – jornal O Dia

http://odia.ig.com.br/portal/opiniao/jo%C3%A3o-baptista-ferreira-de-mello-chove-rio-1.541

 

 

Read Full Post »

Roteiros Geográficos do Rio

O coordenador do Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ –  Prof. João Baptista Ferreira de Mello acometido de forte dores na coluna e outras complicações de saúde está de licença médica na UERJ até o dia 21 de julho de 2019. Neste contexto, as atividades dos Roteiros encontram-se, temporariamente, suspensas.

 

https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/11/5595975-joao-baptista-ferreira-de-mello–novembro-negro-de-zumbi-dos-palmares.html

https://pbs.twimg.com/media/Dvtd4xDWwAAO-eQ.jpg

Um mar de gente foi à Pedra do Sal conduzido pelo Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ – / Geógrafo Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – no domingo 30 de dezembro de 2018. (21) 988717238 whats

 

 OPINIÃO – 24/11/2018

Novembro Negro de Zumbi dos Palmares

Por João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA – Divulgação

Zumbi dos Palmares morreu no dia 20 de novembro de 1695 aos 40 anos de idade. Aos 14, libertou-se para se tornar um guerreiro e liderar movimentos em busca da liberdade para os seus pares. Sua bravura espraiou-se por séculos fazendo com que recebesse homenagens tentaculares, a saber: nome do aeroporto em Maceió, busto erguido na Praça Onze, ponto central da chamada Pequena África do Rio de Janeiro, mais feriado em algumas cidades do país, afora se tornar enredo da Unidos de Vila Isabel, nos idos de 1988, quando, no Centenário da Abolição, a escola venceu o carnaval carioca, com o samba-enredo inesquecível ‘Kizomba, Festa da Raça’.

Este arsenal faz jus, honra e engrandece a biografia de Zumbi e o respeito daqueles que louvam sua valentia. Desafortunadamente, nos dias de hoje, negros esquizofrênicos, envergonhados de sua negra condição, sofrendo de uma espécie de submissão e padecendo de transtorno psiquiátrico pertinente a uma alteração cerebral que dificulta o correto julgamento sobre a realidade estão em campos opostos traindo os ideais de liberdade propugnados por Zumbi dos Palmares e seguidores.

Episódios recentes evidenciaram mesmo uma espécie de Síndrome de Estocolmo com a sujeição ao discurso racista e do ódio. Eu avisava: você é negro. Mas, não me ouviam. Não consegui ser convincente em muitas oportunidades. Credo e cruz!

Seja como for, a inestimável contribuição dos negros deve ser sempre ressaltada pois está inscrita na geografia do Rio e de todo o Brasil como fruto de suor, lágrimas e risos, bem como corações e mentes. Trabalho e fé confluíram para uma cultura pulsante como aquela que vicejou na Cidade Nova, com o chorinho e o maxixe, na Praça 11 dos bambas do samba e na decantada Pedra do Sal, lá pros lados da Gamboa.

Gestos, passos, itinerários, bem como toponímias, palavras comuns, saborosa culinária, gingas, esportes, beleza e bossas sobressaem neste caudaloso Rio de toda gente enlaçada à condição negra.

Diante deste estuário de manifestações é desconcertante observar o racismo impregnado na alma de muita gente, cuja demonstração mais descabida esconde-se nos meandros e amplitude do vocábulo moreno.

Os racistas dissimulam e chamam mulatos e negros de todos os matizes simplesmente de “morenos”. Esta é a palavra-chave para ocultar, encobrir o que deveria ser componente de amor-próprio ou autoestima.

Diante de tal quadro é preciso haver uma nova abolição para extirpar as sombras deste dissimulado racismo.

Não há nada errado em ser negro. De que se envergonham os “morenos”? A eliminação desse tipo de preconceito contido no vocábulo “moreno” precisa ser firmada com a retirada desse tolo subterfúgio dos anais e do cotidiano. Portanto, uma agenda de compromissos deve ser perseguida para se viver, com altivez, a plenitude da condição negra.

João Baptista Ferreira de Mello é coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio – Uerj

 

“2022 – BICENTENÁRIO DE INDEPENDÊNCIA DO BRASIL COM O PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO – UERJ – NAS RUAS DO RIO DE SÃO SEBASTIÃO”

 

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/02/opiniao/5512168-joao-baptista-f-de-mello-eu-sou-um-carnaval-no-meio-da-rua.html

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/38607-janelas-e-ruas-de-sao-sebastiao.html

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/5505542-joao-baptista-ferreira-de-mello-janeiro-de-sao-sebastiao.html

 

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/5505542-joao-baptista-ferreira-de-mello-janeiro-de-sao-sebastiao.html Janeiro de São Sebastião.

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/38607-janelas-e-ruas-de-sao-sebastiao.html     Janelas e ruas de São Sebastião

A UERJ RESISTE E VENCERÁ.  1 folha de salário atrasada, após tantas. Mas, o Projeto Roteiro Geográficos do Rio está nas ruas do Rio de São Sebastião.
PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO na Campanha POR UM RIO LIMPO

João Baptista Ferreira de Mello: rosas raras e pioneiras

Na verdade, esta feminina compilação é apenas simbólica, pois ‘são muitas…são tantas/ são todas tão rosa’, pioneiras mulheres desta Aldeia Tupi, nossa Terra de Santa Cruz

Por João Baptista Ferreira de Mello Roteiros Geográficos do Rio da Uerj

João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA
João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA – Divulgação

Rio – ‘Nada como ser Rosa na vida/ rosa mesmo ou mesmo/ Rosa mulher…’ escreveu Caymmi em versos e canção. Neste Dia Internacional da Mulher, prestemos nossas reverências a essas encantadoras, revolucionárias e bravas mulheres.

Iniciemos com Anna Nery, nome de escola universitária de Enfermagem de alto padrão. Ganhou expressão por seus esforços no campo dos socorros e prestação de serviços no Brasil e no Paraguai. Sigamos com Chiquinha Gonzaga, precursora de uma cultura nacional. Abolicionista, republicana, primeira maestrina do país, casou novamente aos 52 anos com um jovem de 16 e com ele permaneceu até sua morte, aos 88 anos. Abram alas para Chiquinha Gonzaga e sua inaugural e eterna marcha-rancho de 119 carnavais.

Avancemos neste nicho da cultura. Tia Ciata, venerável matriarca do samba, reinou nos domínios da Praça 11 dos Bambas e da Pequena África do Rio de Janeiro. Nos palcos, Tônia Carrero pontificou na cena teatral reunindo charme, beleza e talento. Rainha do Rádio, Marlene, soberana dos auditórios superlotados, nos anos 50, foi proibida de cantar no lendário auditório da Rádio Nacional por envergar calça comprida. Só retornou por imposição do público. Marlene foi, também, a primeira mulher a ‘puxar’ um samba-enredo na Avenida para a vitoriosa Império Serrano, nos idos de 1972, com ‘Alô alô, Taí Carmen Miranda’.

 Na placidez religiosa, Irmã Dulce, sem olhar a quem, praticou o bem, espraiando caridade e encorajamento.

Na passarela dos desfiles de beleza, Vera Lúcia Couto dos Santos, do Clube Renascença, sagrou-se Miss Guanabara. Quebrando todos os tabus, foi a primeira negra a se classificar em um concurso internacional, justo nos Estados Unidos em 1964. Para ela, João Roberto Kelly compôs a famosa marchinha ‘Mulata Bossa Nova’. Em outro certame, Lucia Petterle, em 1971, foi coroada nossa única Miss Mundo, em Londres.

No rico cenário da literatura, Carolina Maria de Jesus, uma mulher das favelas de São Paulo, transformou-se da noite para o dia em uma celebridade com a publicação de seu livro ‘Quarto de Despejo’, best-seller no Brasil e no exterior. No cenário político, Dilma Rousseff, nossa primeira presidenta, foi alçada ao Planalto Central com a assombrosa soma de 54 milhões de votos. E louvemos a quem estuda e merece projeção: Rafaela Marchon, 17 anos, cravou 980 pontos no Enem e classificou-se em 3º lugar na Medicina da UFRJ, além de um honroso 5º lugar no Direito da Uerj.

Na verdade, esta feminina compilação é apenas simbólica, pois “são muitas…são tantas/ são todas tão rosa”, pioneiras mulheres desta Aldeia Tupi, nossa Terra de Santa Cruz.

João Baptista Ferreira de Mello é roteiros Geográficos do Rio da Uerj

https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/03/5519952-joao-baptista-ferreira-de-mello-rosas-raras-e-pioneiras.html

PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO na Campanha POR UM RIO LIMPO

 

image003 (1).jpg

No topo de um sobrado em frente ao Palácio do Catete / Museu da República – foto de Michelle Lustosa participante da aula-passeio Descortinando as Geografias do Catete, Flamengo, Glória. 4 de junho de 2017, domingo. Projeto Roteiros Geograficos do Rio – UERJ – Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – Facebook: Roteiros Geográficos do Rio – Instagram: @roteirosgeorio – (21) 98871 7238 whats – Twitter: roteirosgeorio – email: roteirosgeorio@uol.com.br – site: www.roteirosdorio.com

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ

agraciado com o Prêmio Mobilidade Urbana na modalidade Educação e Cultura conferido pela FETRANSPOR em 2010.

e Diploma Heloneida Studart  da Comissão de Cultura da ALERJ – Categoria Patrimônio Material – 2017

———————————————————————————————————————————–

A cultura transita de VLT no Rio Olímpico

de João Baptista Ferreira de Mello

http://odia.ig.com.br/opiniao/2016-07-29/joao-batista-ferreira-de-mello-a-cultura-transita-de-vlt-no-rio-olimpico.html

porta do iphan

image002

Aula Passeio 100 anos de samba na Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional – 10 de julho de 2016.  Foto André Camargo

image003

100 anos de Samba no Valongo, Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional 10 de julho de 2016

image001

Cem Anos de Samba no Valongo, Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional  – 10 de julho de 2016

roteiro_10_outubro_2015_b

roteiro_10_outubro_2015_a

roteiro_10_outubro_2015_d
Fotos: Roteiro no Porto Olímpico, domingo 11 de outubro de 2015

image002

image001

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – há 14 anos nas ruas do Rio sempre em defesa da nossa Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro e de São Jorge Guerreiro, Patrimônio Mundial da Humanidade ——————————————————————————

Coordenação:  Prof.  Dr.  João Baptista  Ferreira de  Mello

Bolsistas: Shaylla do Carmo Netto Vieira,  Kelly Borges de Faria, Gustavo Melo Azeredo, Rodrigo de Anchieta Bento.

Professores Colaboradores: Doutorandos Prof. Ivo Venerotti, Prof.ª Melissa Anjos e Prof.ª  Olga Maíra Figueiredo. 

————————————————————————————

Grátis  –  Instabilidade do tempo pode provocar o cancelamento do Roteiro, favor telefonar para confirmar, em caso de dúvida (21 98871 7238).

Inscrições não são necessárias.

—————————————————————————————————

Promovem estes eventos: NeghaRIO  –  Núcleo de Estudos sobre Geografia Humanística, Artes e Cidade do Rio de Janeiro  PPGEO – Mestrado / Doutorado em Geografia – UERJ     IGEOG – Instituto de Geografia   UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro Com o apoio institucional da SMC – Secretaria Municipal de Cultural do Rio de Janeiro

————————————————————————————

Roteiros Geográficos da UERJ há 14 anos nas ruas do Rio. Site http://www.roteirosdorio.com há 5 anos na web e com mais 388.000 acessos até março de 2016.

————————————————————————————

Prêmio FETRANSPOR – Mobilidade Urbana – Educação e Cultura – Menção Honrosa

“Geografia é o estudo da Terra como o lar das pessoas” conceituação em voga nos anos quarenta retomada, na década de setenta, pelo geógrafo Yi-Fu Tuan

“Deus nos fala nos mapas com sua voz geógrafa” poeta Adélia Prado

————————————————————————————

ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO procurando contribuir para a auto-estima do carioca e participando das campanhas

– Conserve sua cidade limpa. Não jogue lixo no chão sagrado do nosso lar / lugar, o Rio de São Sebastião. Se não encontrar uma cesta de lixo, leve-o para casa. Quem produz o lixo é o indivíduo e não o Estado ou a Prefeitura.

– Os Roteiros Geográficos do Rio perfilam com as diversas sugestões e solicitações com vistas ao erguimento de uma estátua para a cantora e atriz Marlene, a Maior; bem como a campanha por Uma Rua Chamada Cantora Marlene, em voga nas redes sociais.

– Pela realização do concurso Miss Universo 2016 no Rio 451 anos (o concurso é assistido por um bilhão de pessoas.  Terceiro evento mais assistido no Planeta).  

– Pela iluminação noturna, permanente e constante ao longo dos vãos e pilares da ponte Rio-Niterói.

http://globoplay.globo.com/v/4878755/    RJTV – TV GLOBO

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2016/03/rio-tem-2-mil-monumentos-mas-menos-de-20-sao-de-figuras-femininas.html   RJTV – TV GLOBO

http://globoplay.globo.com/v/4869464/    RJTV – TV GLOBO

http://odia.ig.com.br/economia/2016-03-02/joao-baptista-f-de-mello-festa-rio.html     Festa Rio – artigo de João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – Jornal O Dia online e impresso 02/03/2016

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2016-01-20/joao-baptista-f-de-mello-sebastian-sebastiao-o-padroeiro-e-a-cancao.html     João Baptista F. de Mello: ‘Sebastian, Sebastião’: o padroeiro e a canção     –  jornal O Dia online e impresso – 20 de janeiro de 2016

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2015-11-29/joao-baptista-f-de-mello-maria-odette-uma-voz-da-mpb.html  Maria Odette, uma Voz da MPB

http://www.youtube.com/watch?v=q4U3m_wl1Uo

Chove Rio – jornal O Dia

http://odia.ig.com.br/portal/opiniao/jo%C3%A3o-baptista-ferreira-de-mello-chove-rio-1.541

 

 

Read Full Post »

Roteiros Geográficos do Rio

Prezados,
O roteiro  Um Rio de Igrejas não será mais realizado amanhã dia 17 de abril de 2019.
Por favor aguardem nova data.

 

O Rio de Tiradentes – dos Tormentos às Reverências

21 de abril de 2019 (domingo) 14 horas junto ao Palácio Tiradentes (ALERJ)

Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello

Itinerário: Assembleia Legislativa (ponto no qual anteriormente se encontrava a cadeia do Rio) – o suplício na caminhada pelas Ruas da Assembleia e do Piolho (atual Rua da Carioca) – Igreja de Nossa Senhora da  Lampadosa (templo no qual Tiradentes assistiu a última missa na porta da igreja) – Praça Tiradentes (a reconquista da honra de um herói projetada pela República positivista) – Rua Visconde do Rio Branco – Escola Municipal Tiradentes
NeghaRIO / PPGEO (Mestrado Doutorado em Geografia) – Instituto de Geografia – CTC – UERJ –Universidade do Estado do Rio de Janeiro –

apoio institucional SMC Secretaria Municipal de Cultura
Página do Facebook: Roteiros Geográficos do Rio – roteirosgeorio@uol.com.br – (21) 98871-7238 (whatsapp) Twitter:  @roteirosgeorio –   www.roteirosdorio.com– Instagram: roteirosgeorio
Em caso de tempo chuvoso, o roteiro será cancelado. É conveniente telefonar para confirmar – grátis – a pé. Inscrições não são necessárias.  Em dia de “casa cheia” recorre-se ao megafone.

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ .

 

Circulando pelo Campo de Santana, da Proclamação da República e de São Jorge Guerreiro

Segunda-feira, 22 de abril de 2019  –   14 horas

Encontro:  junto ao bondinho no interior do Centro Cultural Light – Av. Marechal Floriano, 168

Aula Passeio  grátis – a pé

Coordenação: Geógrafo Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ

Itinerário: Centro Cultural Light – Itamarati – Central do Brasil (visita) – passagem subterrânea – Casa do Marechal Deodoro – Arquivo Nacional/Casa da Moeda (visita) – Rádios MEC Am / Fm – Faculdade de Direito UFRJ (visita ao antigo Senado) – Circulando no interior do Campo de Santana, das festividades e rituais religiosos, do casamento de D. Pedro e da Imperatriz Leopoldina, da aclamação popular de Dom João VI, do samba O Pato de Jaime Silva e Neusa Teixeira gravado por João Gilberto – do ajardinamento de Glaziou – Corpo de Bombeiro – Igreja de São Jorge (visita)
NeghaRIO / PPGEO (Mestrado Doutorado em Geografia) – Instituto de Geografia – CTC – UERJ –     Universidade do Estado do Rio de Janeiro – (apoio institucional SMC Secretaria Municipal de Cultura) –

Página do Facebook: Roteiros Geográficos do Rio           –    (21) 98871-7238 (whatsapp)   – Twitter: @roteirosgeorio     –   roteirosgeorio@uol.com.br –

www.roteirosdorio.com

Instagram: @roteirosgeorio

Em caso de tempo chuvoso, o roteiro será cancelado. É conveniente telefonar para confirmar – grátis – a pé – Inscrições não são necessárias. Em caso de “casa cheia” recorre-se ao megafone

https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/11/5595975-joao-baptista-ferreira-de-mello–novembro-negro-de-zumbi-dos-palmares.html

https://pbs.twimg.com/media/Dvtd4xDWwAAO-eQ.jpg

Um mar de gente foi à Pedra do Sal conduzido pelo Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ – / Geógrafo Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – no domingo 30 de dezembro de 2018. (21) 988717238 whats

 

 OPINIÃO – 24/11/2018

Novembro Negro de Zumbi dos Palmares

Por João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA – Divulgação

Zumbi dos Palmares morreu no dia 20 de novembro de 1695 aos 40 anos de idade. Aos 14, libertou-se para se tornar um guerreiro e liderar movimentos em busca da liberdade para os seus pares. Sua bravura espraiou-se por séculos fazendo com que recebesse homenagens tentaculares, a saber: nome do aeroporto em Maceió, busto erguido na Praça Onze, ponto central da chamada Pequena África do Rio de Janeiro, mais feriado em algumas cidades do país, afora se tornar enredo da Unidos de Vila Isabel, nos idos de 1988, quando, no Centenário da Abolição, a escola venceu o carnaval carioca, com o samba-enredo inesquecível ‘Kizomba, Festa da Raça’.

Este arsenal faz jus, honra e engrandece a biografia de Zumbi e o respeito daqueles que louvam sua valentia. Desafortunadamente, nos dias de hoje, negros esquizofrênicos, envergonhados de sua negra condição, sofrendo de uma espécie de submissão e padecendo de transtorno psiquiátrico pertinente a uma alteração cerebral que dificulta o correto julgamento sobre a realidade estão em campos opostos traindo os ideais de liberdade propugnados por Zumbi dos Palmares e seguidores.

Episódios recentes evidenciaram mesmo uma espécie de Síndrome de Estocolmo com a sujeição ao discurso racista e do ódio. Eu avisava: você é negro. Mas, não me ouviam. Não consegui ser convincente em muitas oportunidades. Credo e cruz!

Seja como for, a inestimável contribuição dos negros deve ser sempre ressaltada pois está inscrita na geografia do Rio e de todo o Brasil como fruto de suor, lágrimas e risos, bem como corações e mentes. Trabalho e fé confluíram para uma cultura pulsante como aquela que vicejou na Cidade Nova, com o chorinho e o maxixe, na Praça 11 dos bambas do samba e na decantada Pedra do Sal, lá pros lados da Gamboa.

Gestos, passos, itinerários, bem como toponímias, palavras comuns, saborosa culinária, gingas, esportes, beleza e bossas sobressaem neste caudaloso Rio de toda gente enlaçada à condição negra.

Diante deste estuário de manifestações é desconcertante observar o racismo impregnado na alma de muita gente, cuja demonstração mais descabida esconde-se nos meandros e amplitude do vocábulo moreno.

Os racistas dissimulam e chamam mulatos e negros de todos os matizes simplesmente de “morenos”. Esta é a palavra-chave para ocultar, encobrir o que deveria ser componente de amor-próprio ou autoestima.

Diante de tal quadro é preciso haver uma nova abolição para extirpar as sombras deste dissimulado racismo.

Não há nada errado em ser negro. De que se envergonham os “morenos”? A eliminação desse tipo de preconceito contido no vocábulo “moreno” precisa ser firmada com a retirada desse tolo subterfúgio dos anais e do cotidiano. Portanto, uma agenda de compromissos deve ser perseguida para se viver, com altivez, a plenitude da condição negra.

João Baptista Ferreira de Mello é coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio – Uerj

 

“2022 – BICENTENÁRIO DE INDEPENDÊNCIA DO BRASIL COM O PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO – UERJ – NAS RUAS DO RIO DE SÃO SEBASTIÃO”

 

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/02/opiniao/5512168-joao-baptista-f-de-mello-eu-sou-um-carnaval-no-meio-da-rua.html

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/38607-janelas-e-ruas-de-sao-sebastiao.html

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/5505542-joao-baptista-ferreira-de-mello-janeiro-de-sao-sebastiao.html

 

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/5505542-joao-baptista-ferreira-de-mello-janeiro-de-sao-sebastiao.html Janeiro de São Sebastião.

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/38607-janelas-e-ruas-de-sao-sebastiao.html     Janelas e ruas de São Sebastião

A UERJ RESISTE E VENCERÁ.  1 folha de salário atrasada, após tantas. Mas, o Projeto Roteiro Geográficos do Rio está nas ruas do Rio de São Sebastião.
PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO na Campanha POR UM RIO LIMPO

João Baptista Ferreira de Mello: rosas raras e pioneiras

Na verdade, esta feminina compilação é apenas simbólica, pois ‘são muitas…são tantas/ são todas tão rosa’, pioneiras mulheres desta Aldeia Tupi, nossa Terra de Santa Cruz

Por João Baptista Ferreira de Mello Roteiros Geográficos do Rio da Uerj

João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA
João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA – Divulgação

Rio – ‘Nada como ser Rosa na vida/ rosa mesmo ou mesmo/ Rosa mulher…’ escreveu Caymmi em versos e canção. Neste Dia Internacional da Mulher, prestemos nossas reverências a essas encantadoras, revolucionárias e bravas mulheres.

Iniciemos com Anna Nery, nome de escola universitária de Enfermagem de alto padrão. Ganhou expressão por seus esforços no campo dos socorros e prestação de serviços no Brasil e no Paraguai. Sigamos com Chiquinha Gonzaga, precursora de uma cultura nacional. Abolicionista, republicana, primeira maestrina do país, casou novamente aos 52 anos com um jovem de 16 e com ele permaneceu até sua morte, aos 88 anos. Abram alas para Chiquinha Gonzaga e sua inaugural e eterna marcha-rancho de 119 carnavais.

Avancemos neste nicho da cultura. Tia Ciata, venerável matriarca do samba, reinou nos domínios da Praça 11 dos Bambas e da Pequena África do Rio de Janeiro. Nos palcos, Tônia Carrero pontificou na cena teatral reunindo charme, beleza e talento. Rainha do Rádio, Marlene, soberana dos auditórios superlotados, nos anos 50, foi proibida de cantar no lendário auditório da Rádio Nacional por envergar calça comprida. Só retornou por imposição do público. Marlene foi, também, a primeira mulher a ‘puxar’ um samba-enredo na Avenida para a vitoriosa Império Serrano, nos idos de 1972, com ‘Alô alô, Taí Carmen Miranda’.

 Na placidez religiosa, Irmã Dulce, sem olhar a quem, praticou o bem, espraiando caridade e encorajamento.

Na passarela dos desfiles de beleza, Vera Lúcia Couto dos Santos, do Clube Renascença, sagrou-se Miss Guanabara. Quebrando todos os tabus, foi a primeira negra a se classificar em um concurso internacional, justo nos Estados Unidos em 1964. Para ela, João Roberto Kelly compôs a famosa marchinha ‘Mulata Bossa Nova’. Em outro certame, Lucia Petterle, em 1971, foi coroada nossa única Miss Mundo, em Londres.

No rico cenário da literatura, Carolina Maria de Jesus, uma mulher das favelas de São Paulo, transformou-se da noite para o dia em uma celebridade com a publicação de seu livro ‘Quarto de Despejo’, best-seller no Brasil e no exterior. No cenário político, Dilma Rousseff, nossa primeira presidenta, foi alçada ao Planalto Central com a assombrosa soma de 54 milhões de votos. E louvemos a quem estuda e merece projeção: Rafaela Marchon, 17 anos, cravou 980 pontos no Enem e classificou-se em 3º lugar na Medicina da UFRJ, além de um honroso 5º lugar no Direito da Uerj.

Na verdade, esta feminina compilação é apenas simbólica, pois “são muitas…são tantas/ são todas tão rosa”, pioneiras mulheres desta Aldeia Tupi, nossa Terra de Santa Cruz.

João Baptista Ferreira de Mello é roteiros Geográficos do Rio da Uerj

https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/03/5519952-joao-baptista-ferreira-de-mello-rosas-raras-e-pioneiras.html

PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO na Campanha POR UM RIO LIMPO

 

image003 (1).jpg

No topo de um sobrado em frente ao Palácio do Catete / Museu da República – foto de Michelle Lustosa participante da aula-passeio Descortinando as Geografias do Catete, Flamengo, Glória. 4 de junho de 2017, domingo. Projeto Roteiros Geograficos do Rio – UERJ – Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – Facebook: Roteiros Geográficos do Rio – Instagram: @roteirosgeorio – (21) 98871 7238 whats – Twitter: roteirosgeorio – email: roteirosgeorio@uol.com.br – site: www.roteirosdorio.com

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ

agraciado com o Prêmio Mobilidade Urbana na modalidade Educação e Cultura conferido pela FETRANSPOR em 2010.

e Diploma Heloneida Studart  da Comissão de Cultura da ALERJ – Categoria Patrimônio Material – 2017

———————————————————————————————————————————–

A cultura transita de VLT no Rio Olímpico

de João Baptista Ferreira de Mello

http://odia.ig.com.br/opiniao/2016-07-29/joao-batista-ferreira-de-mello-a-cultura-transita-de-vlt-no-rio-olimpico.html

porta do iphan

image002

Aula Passeio 100 anos de samba na Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional – 10 de julho de 2016.  Foto André Camargo

image003

100 anos de Samba no Valongo, Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional 10 de julho de 2016

image001

Cem Anos de Samba no Valongo, Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional  – 10 de julho de 2016

roteiro_10_outubro_2015_b

roteiro_10_outubro_2015_a

roteiro_10_outubro_2015_d
Fotos: Roteiro no Porto Olímpico, domingo 11 de outubro de 2015

image002

image001

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – há 14 anos nas ruas do Rio sempre em defesa da nossa Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro e de São Jorge Guerreiro, Patrimônio Mundial da Humanidade ——————————————————————————

Coordenação:  Prof.  Dr.  João Baptista  Ferreira de  Mello

Bolsistas: Shaylla do Carmo Netto Vieira,  Kelly Borges de Faria, Gustavo Melo Azeredo, Rodrigo de Anchieta Bento.

Professores Colaboradores: Doutorandos Prof. Ivo Venerotti, Prof.ª Melissa Anjos e Prof.ª  Olga Maíra Figueiredo. 

————————————————————————————

Grátis  –  Instabilidade do tempo pode provocar o cancelamento do Roteiro, favor telefonar para confirmar, em caso de dúvida (21 98871 7238).

Inscrições não são necessárias.

—————————————————————————————————

Promovem estes eventos: NeghaRIO  –  Núcleo de Estudos sobre Geografia Humanística, Artes e Cidade do Rio de Janeiro  PPGEO – Mestrado / Doutorado em Geografia – UERJ     IGEOG – Instituto de Geografia   UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro Com o apoio institucional da SMC – Secretaria Municipal de Cultural do Rio de Janeiro

————————————————————————————

Roteiros Geográficos da UERJ há 14 anos nas ruas do Rio. Site http://www.roteirosdorio.com há 5 anos na web e com mais 388.000 acessos até março de 2016.

————————————————————————————

Prêmio FETRANSPOR – Mobilidade Urbana – Educação e Cultura – Menção Honrosa

“Geografia é o estudo da Terra como o lar das pessoas” conceituação em voga nos anos quarenta retomada, na década de setenta, pelo geógrafo Yi-Fu Tuan

“Deus nos fala nos mapas com sua voz geógrafa” poeta Adélia Prado

————————————————————————————

ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO procurando contribuir para a auto-estima do carioca e participando das campanhas

– Conserve sua cidade limpa. Não jogue lixo no chão sagrado do nosso lar / lugar, o Rio de São Sebastião. Se não encontrar uma cesta de lixo, leve-o para casa. Quem produz o lixo é o indivíduo e não o Estado ou a Prefeitura.

– Os Roteiros Geográficos do Rio perfilam com as diversas sugestões e solicitações com vistas ao erguimento de uma estátua para a cantora e atriz Marlene, a Maior; bem como a campanha por Uma Rua Chamada Cantora Marlene, em voga nas redes sociais.

– Pela realização do concurso Miss Universo 2016 no Rio 451 anos (o concurso é assistido por um bilhão de pessoas.  Terceiro evento mais assistido no Planeta).  

– Pela iluminação noturna, permanente e constante ao longo dos vãos e pilares da ponte Rio-Niterói.

http://globoplay.globo.com/v/4878755/    RJTV – TV GLOBO

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2016/03/rio-tem-2-mil-monumentos-mas-menos-de-20-sao-de-figuras-femininas.html   RJTV – TV GLOBO

http://globoplay.globo.com/v/4869464/    RJTV – TV GLOBO

http://odia.ig.com.br/economia/2016-03-02/joao-baptista-f-de-mello-festa-rio.html     Festa Rio – artigo de João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – Jornal O Dia online e impresso 02/03/2016

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2016-01-20/joao-baptista-f-de-mello-sebastian-sebastiao-o-padroeiro-e-a-cancao.html     João Baptista F. de Mello: ‘Sebastian, Sebastião’: o padroeiro e a canção     –  jornal O Dia online e impresso – 20 de janeiro de 2016

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2015-11-29/joao-baptista-f-de-mello-maria-odette-uma-voz-da-mpb.html  Maria Odette, uma Voz da MPB

http://www.youtube.com/watch?v=q4U3m_wl1Uo

Chove Rio – jornal O Dia

http://odia.ig.com.br/portal/opiniao/jo%C3%A3o-baptista-ferreira-de-mello-chove-rio-1.541

 

 

Read Full Post »

Roteiros Geográficos do Rio

 

UM RIO DE IGREJAS – Carmo, Ordem Terceira do Carmo, Lapa dos Mercadores, Santa Cruz dos Militares, Candelária, Montserrat do Mosteiro de São Bento

17 de abril, quarta-feira, Aula-passeio , grátis, a pé

Início da caminhada na calçada da Igreja de Nossa Senhora do Carmo, às 10 horas, na confluência da Nobre Praça 15 com as ruas 1º de Março e Sete de Setembro. Na foto, exuberante, a Igreja Santa Cruz dos Militares, situada na rua 1o de Março.
Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ – Visitas guiadas orientadas pelo Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ –
Apoio Institucional: Secretaria Municipal de Cultura http://www.roteirosdorio.com – (21) 98871 7238 whats – Facebook: Roteiros Geográficos do Rio – Instagram: @roteirosgeorio – Twitter: @roteirosgeorio

O Rio de Tiradentes – dos Tormentos às Reverências

21 de abril de 2019 (domingo) 14 horas junto ao Palácio Tiradentes (ALERJ)

Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello

Itinerário: Assembleia Legislativa (ponto no qual anteriormente se encontrava a cadeia do Rio) – o suplício na caminhada pelas Ruas da Assembleia e do Piolho (atual Rua da Carioca) – Igreja de Nossa Senhora da  Lampadosa (templo no qual Tiradentes assistiu a última missa na porta da igreja) – Praça Tiradentes (a reconquista da honra de um herói projetada pela República positivista) – Rua Visconde do Rio Branco – Escola Municipal Tiradentes
NeghaRIO / PPGEO (Mestrado Doutorado em Geografia) – Instituto de Geografia – CTC – UERJ –Universidade do Estado do Rio de Janeiro –

apoio institucional SMC Secretaria Municipal de Cultura
Página do Facebook: Roteiros Geográficos do Rio – roteirosgeorio@uol.com.br – (21) 98871-7238 (whatsapp) Twitter:  @roteirosgeorio –   www.roteirosdorio.com– Instagram: roteirosgeorio
Em caso de tempo chuvoso, o roteiro será cancelado. É conveniente telefonar para confirmar – grátis – a pé. Inscrições não são necessárias.  Em dia de “casa cheia” recorre-se ao megafone.

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ .

 

Circulando pelo Campo de Santana, da Proclamação da República e de São Jorge Guerreiro

Segunda-feira, 22 de abril de 2019  –   14 horas

Encontro:  junto ao bondinho no interior do Centro Cultural Light – Av. Marechal Floriano, 168

Aula Passeio  grátis – a pé

Coordenação: Geógrafo Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ

Itinerário: Centro Cultural Light – Itamarati – Central do Brasil (visita) – passagem subterrânea – Casa do Marechal Deodoro – Arquivo Nacional/Casa da Moeda (visita) – Rádios MEC Am / Fm – Faculdade de Direito UFRJ (visita ao antigo Senado) – Circulando no interior do Campo de Santana, das festividades e rituais religiosos, do casamento de D. Pedro e da Imperatriz Leopoldina, da aclamação popular de Dom João VI, do samba O Pato de Jaime Silva e Neusa Teixeira gravado por João Gilberto – do ajardinamento de Glaziou – Corpo de Bombeiro – Igreja de São Jorge (visita)
NeghaRIO / PPGEO (Mestrado Doutorado em Geografia) – Instituto de Geografia – CTC – UERJ –     Universidade do Estado do Rio de Janeiro – (apoio institucional SMC Secretaria Municipal de Cultura) –

Página do Facebook: Roteiros Geográficos do Rio           –    (21) 98871-7238 (whatsapp)   – Twitter: @roteirosgeorio     –   roteirosgeorio@uol.com.br –

www.roteirosdorio.com

Instagram: @roteirosgeorio

Em caso de tempo chuvoso, o roteiro será cancelado. É conveniente telefonar para confirmar – grátis – a pé – Inscrições não são necessárias. Em caso de “casa cheia” recorre-se ao megafone

https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/11/5595975-joao-baptista-ferreira-de-mello–novembro-negro-de-zumbi-dos-palmares.html

https://pbs.twimg.com/media/Dvtd4xDWwAAO-eQ.jpg

Um mar de gente foi à Pedra do Sal conduzido pelo Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ – / Geógrafo Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – no domingo 30 de dezembro de 2018. (21) 988717238 whats

 

 OPINIÃO – 24/11/2018

Novembro Negro de Zumbi dos Palmares

Por João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA – Divulgação

Zumbi dos Palmares morreu no dia 20 de novembro de 1695 aos 40 anos de idade. Aos 14, libertou-se para se tornar um guerreiro e liderar movimentos em busca da liberdade para os seus pares. Sua bravura espraiou-se por séculos fazendo com que recebesse homenagens tentaculares, a saber: nome do aeroporto em Maceió, busto erguido na Praça Onze, ponto central da chamada Pequena África do Rio de Janeiro, mais feriado em algumas cidades do país, afora se tornar enredo da Unidos de Vila Isabel, nos idos de 1988, quando, no Centenário da Abolição, a escola venceu o carnaval carioca, com o samba-enredo inesquecível ‘Kizomba, Festa da Raça’.

Este arsenal faz jus, honra e engrandece a biografia de Zumbi e o respeito daqueles que louvam sua valentia. Desafortunadamente, nos dias de hoje, negros esquizofrênicos, envergonhados de sua negra condição, sofrendo de uma espécie de submissão e padecendo de transtorno psiquiátrico pertinente a uma alteração cerebral que dificulta o correto julgamento sobre a realidade estão em campos opostos traindo os ideais de liberdade propugnados por Zumbi dos Palmares e seguidores.

Episódios recentes evidenciaram mesmo uma espécie de Síndrome de Estocolmo com a sujeição ao discurso racista e do ódio. Eu avisava: você é negro. Mas, não me ouviam. Não consegui ser convincente em muitas oportunidades. Credo e cruz!

Seja como for, a inestimável contribuição dos negros deve ser sempre ressaltada pois está inscrita na geografia do Rio e de todo o Brasil como fruto de suor, lágrimas e risos, bem como corações e mentes. Trabalho e fé confluíram para uma cultura pulsante como aquela que vicejou na Cidade Nova, com o chorinho e o maxixe, na Praça 11 dos bambas do samba e na decantada Pedra do Sal, lá pros lados da Gamboa.

Gestos, passos, itinerários, bem como toponímias, palavras comuns, saborosa culinária, gingas, esportes, beleza e bossas sobressaem neste caudaloso Rio de toda gente enlaçada à condição negra.

Diante deste estuário de manifestações é desconcertante observar o racismo impregnado na alma de muita gente, cuja demonstração mais descabida esconde-se nos meandros e amplitude do vocábulo moreno.

Os racistas dissimulam e chamam mulatos e negros de todos os matizes simplesmente de “morenos”. Esta é a palavra-chave para ocultar, encobrir o que deveria ser componente de amor-próprio ou autoestima.

Diante de tal quadro é preciso haver uma nova abolição para extirpar as sombras deste dissimulado racismo.

Não há nada errado em ser negro. De que se envergonham os “morenos”? A eliminação desse tipo de preconceito contido no vocábulo “moreno” precisa ser firmada com a retirada desse tolo subterfúgio dos anais e do cotidiano. Portanto, uma agenda de compromissos deve ser perseguida para se viver, com altivez, a plenitude da condição negra.

João Baptista Ferreira de Mello é coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio – Uerj

 

“2022 – BICENTENÁRIO DE INDEPENDÊNCIA DO BRASIL COM O PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO – UERJ – NAS RUAS DO RIO DE SÃO SEBASTIÃO”

 

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/02/opiniao/5512168-joao-baptista-f-de-mello-eu-sou-um-carnaval-no-meio-da-rua.html

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/38607-janelas-e-ruas-de-sao-sebastiao.html

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/5505542-joao-baptista-ferreira-de-mello-janeiro-de-sao-sebastiao.html

 

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/5505542-joao-baptista-ferreira-de-mello-janeiro-de-sao-sebastiao.html Janeiro de São Sebastião.

https://odia.ig.com.br/_conteudo/2018/01/opiniao/38607-janelas-e-ruas-de-sao-sebastiao.html     Janelas e ruas de São Sebastião

A UERJ RESISTE E VENCERÁ.  1 folha de salário atrasada, após tantas. Mas, o Projeto Roteiro Geográficos do Rio está nas ruas do Rio de São Sebastião.
PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO na Campanha POR UM RIO LIMPO

João Baptista Ferreira de Mello: rosas raras e pioneiras

Na verdade, esta feminina compilação é apenas simbólica, pois ‘são muitas…são tantas/ são todas tão rosa’, pioneiras mulheres desta Aldeia Tupi, nossa Terra de Santa Cruz

Por João Baptista Ferreira de Mello Roteiros Geográficos do Rio da Uerj

João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA
João Baptista Ferreira de Mello, coordenador dos Roteiros Geográficos do Rio da Uerj e colunista do DIA – Divulgação

Rio – ‘Nada como ser Rosa na vida/ rosa mesmo ou mesmo/ Rosa mulher…’ escreveu Caymmi em versos e canção. Neste Dia Internacional da Mulher, prestemos nossas reverências a essas encantadoras, revolucionárias e bravas mulheres.

Iniciemos com Anna Nery, nome de escola universitária de Enfermagem de alto padrão. Ganhou expressão por seus esforços no campo dos socorros e prestação de serviços no Brasil e no Paraguai. Sigamos com Chiquinha Gonzaga, precursora de uma cultura nacional. Abolicionista, republicana, primeira maestrina do país, casou novamente aos 52 anos com um jovem de 16 e com ele permaneceu até sua morte, aos 88 anos. Abram alas para Chiquinha Gonzaga e sua inaugural e eterna marcha-rancho de 119 carnavais.

Avancemos neste nicho da cultura. Tia Ciata, venerável matriarca do samba, reinou nos domínios da Praça 11 dos Bambas e da Pequena África do Rio de Janeiro. Nos palcos, Tônia Carrero pontificou na cena teatral reunindo charme, beleza e talento. Rainha do Rádio, Marlene, soberana dos auditórios superlotados, nos anos 50, foi proibida de cantar no lendário auditório da Rádio Nacional por envergar calça comprida. Só retornou por imposição do público. Marlene foi, também, a primeira mulher a ‘puxar’ um samba-enredo na Avenida para a vitoriosa Império Serrano, nos idos de 1972, com ‘Alô alô, Taí Carmen Miranda’.

 Na placidez religiosa, Irmã Dulce, sem olhar a quem, praticou o bem, espraiando caridade e encorajamento.

Na passarela dos desfiles de beleza, Vera Lúcia Couto dos Santos, do Clube Renascença, sagrou-se Miss Guanabara. Quebrando todos os tabus, foi a primeira negra a se classificar em um concurso internacional, justo nos Estados Unidos em 1964. Para ela, João Roberto Kelly compôs a famosa marchinha ‘Mulata Bossa Nova’. Em outro certame, Lucia Petterle, em 1971, foi coroada nossa única Miss Mundo, em Londres.

No rico cenário da literatura, Carolina Maria de Jesus, uma mulher das favelas de São Paulo, transformou-se da noite para o dia em uma celebridade com a publicação de seu livro ‘Quarto de Despejo’, best-seller no Brasil e no exterior. No cenário político, Dilma Rousseff, nossa primeira presidenta, foi alçada ao Planalto Central com a assombrosa soma de 54 milhões de votos. E louvemos a quem estuda e merece projeção: Rafaela Marchon, 17 anos, cravou 980 pontos no Enem e classificou-se em 3º lugar na Medicina da UFRJ, além de um honroso 5º lugar no Direito da Uerj.

Na verdade, esta feminina compilação é apenas simbólica, pois “são muitas…são tantas/ são todas tão rosa”, pioneiras mulheres desta Aldeia Tupi, nossa Terra de Santa Cruz.

João Baptista Ferreira de Mello é roteiros Geográficos do Rio da Uerj

https://odia.ig.com.br/opiniao/2018/03/5519952-joao-baptista-ferreira-de-mello-rosas-raras-e-pioneiras.html

PROJETO ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO na Campanha POR UM RIO LIMPO

 

image003 (1).jpg

No topo de um sobrado em frente ao Palácio do Catete / Museu da República – foto de Michelle Lustosa participante da aula-passeio Descortinando as Geografias do Catete, Flamengo, Glória. 4 de junho de 2017, domingo. Projeto Roteiros Geograficos do Rio – UERJ – Coordenação: Prof. Dr. João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – Facebook: Roteiros Geográficos do Rio – Instagram: @roteirosgeorio – (21) 98871 7238 whats – Twitter: roteirosgeorio – email: roteirosgeorio@uol.com.br – site: www.roteirosdorio.com

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – UERJ

agraciado com o Prêmio Mobilidade Urbana na modalidade Educação e Cultura conferido pela FETRANSPOR em 2010.

e Diploma Heloneida Studart  da Comissão de Cultura da ALERJ – Categoria Patrimônio Material – 2017

———————————————————————————————————————————–

A cultura transita de VLT no Rio Olímpico

de João Baptista Ferreira de Mello

http://odia.ig.com.br/opiniao/2016-07-29/joao-batista-ferreira-de-mello-a-cultura-transita-de-vlt-no-rio-olimpico.html

porta do iphan

image002

Aula Passeio 100 anos de samba na Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional – 10 de julho de 2016.  Foto André Camargo

image003

100 anos de Samba no Valongo, Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional 10 de julho de 2016

image001

Cem Anos de Samba no Valongo, Pedra do Sal e Nova Praça Mauá da Rádio Nacional  – 10 de julho de 2016

roteiro_10_outubro_2015_b

roteiro_10_outubro_2015_a

roteiro_10_outubro_2015_d
Fotos: Roteiro no Porto Olímpico, domingo 11 de outubro de 2015

image002

image001

Projeto Roteiros Geográficos do Rio – há 14 anos nas ruas do Rio sempre em defesa da nossa Olímpica e Maravilhosa Cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro e de São Jorge Guerreiro, Patrimônio Mundial da Humanidade ——————————————————————————

Coordenação:  Prof.  Dr.  João Baptista  Ferreira de  Mello

Bolsistas: Shaylla do Carmo Netto Vieira,  Kelly Borges de Faria, Gustavo Melo Azeredo, Rodrigo de Anchieta Bento.

Professores Colaboradores: Doutorandos Prof. Ivo Venerotti, Prof.ª Melissa Anjos e Prof.ª  Olga Maíra Figueiredo. 

————————————————————————————

Grátis  –  Instabilidade do tempo pode provocar o cancelamento do Roteiro, favor telefonar para confirmar, em caso de dúvida (21 98871 7238).

Inscrições não são necessárias.

—————————————————————————————————

Promovem estes eventos: NeghaRIO  –  Núcleo de Estudos sobre Geografia Humanística, Artes e Cidade do Rio de Janeiro  PPGEO – Mestrado / Doutorado em Geografia – UERJ     IGEOG – Instituto de Geografia   UERJ – Universidade do Estado do Rio de Janeiro Com o apoio institucional da SMC – Secretaria Municipal de Cultural do Rio de Janeiro

————————————————————————————

Roteiros Geográficos da UERJ há 14 anos nas ruas do Rio. Site http://www.roteirosdorio.com há 5 anos na web e com mais 388.000 acessos até março de 2016.

————————————————————————————

Prêmio FETRANSPOR – Mobilidade Urbana – Educação e Cultura – Menção Honrosa

“Geografia é o estudo da Terra como o lar das pessoas” conceituação em voga nos anos quarenta retomada, na década de setenta, pelo geógrafo Yi-Fu Tuan

“Deus nos fala nos mapas com sua voz geógrafa” poeta Adélia Prado

————————————————————————————

ROTEIROS GEOGRÁFICOS DO RIO procurando contribuir para a auto-estima do carioca e participando das campanhas

– Conserve sua cidade limpa. Não jogue lixo no chão sagrado do nosso lar / lugar, o Rio de São Sebastião. Se não encontrar uma cesta de lixo, leve-o para casa. Quem produz o lixo é o indivíduo e não o Estado ou a Prefeitura.

– Os Roteiros Geográficos do Rio perfilam com as diversas sugestões e solicitações com vistas ao erguimento de uma estátua para a cantora e atriz Marlene, a Maior; bem como a campanha por Uma Rua Chamada Cantora Marlene, em voga nas redes sociais.

– Pela realização do concurso Miss Universo 2016 no Rio 451 anos (o concurso é assistido por um bilhão de pessoas.  Terceiro evento mais assistido no Planeta).  

– Pela iluminação noturna, permanente e constante ao longo dos vãos e pilares da ponte Rio-Niterói.

http://globoplay.globo.com/v/4878755/    RJTV – TV GLOBO

http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2016/03/rio-tem-2-mil-monumentos-mas-menos-de-20-sao-de-figuras-femininas.html   RJTV – TV GLOBO

http://globoplay.globo.com/v/4869464/    RJTV – TV GLOBO

http://odia.ig.com.br/economia/2016-03-02/joao-baptista-f-de-mello-festa-rio.html     Festa Rio – artigo de João Baptista Ferreira de Mello – UERJ – Jornal O Dia online e impresso 02/03/2016

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2016-01-20/joao-baptista-f-de-mello-sebastian-sebastiao-o-padroeiro-e-a-cancao.html     João Baptista F. de Mello: ‘Sebastian, Sebastião’: o padroeiro e a canção     –  jornal O Dia online e impresso – 20 de janeiro de 2016

http://odia.ig.com.br/noticia/opiniao/2015-11-29/joao-baptista-f-de-mello-maria-odette-uma-voz-da-mpb.html  Maria Odette, uma Voz da MPB

http://www.youtube.com/watch?v=q4U3m_wl1Uo

Chove Rio – jornal O Dia

http://odia.ig.com.br/portal/opiniao/jo%C3%A3o-baptista-ferreira-de-mello-chove-rio-1.541

 

 

Read Full Post »

Older Posts »

%d blogueiros gostam disto: